pesquisa magos da luz

Custom Search
------------------- -------------------------------------
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

15 de dez de 2009

Segredos Que o Seu Dentista Jamais Diria a Você



User-agent: Mediapartners-Google*
Disallow:
50 Segredos Que o Seu Dentista Jamais Diria a Você


Você usa o fio dental com a mesma frequência com que troca de colchão? Passa mais tempo pondo pasta na escova do que escovando os dentes? Dentistas percebem essas coisas. E também sabem de antemão quando você insiste em pedir um tratamento cujo resultado final não vai ser o que você esperava. Pedimos a 27 dentistas de todo o país que nos contassem o que realmente pensam quando examinam os nossos dentes. O que saiu da boca desses profissionais vai mudar o modo como você trata a sua.

Ninguém entende!
>> Algumas pessoas muito instruídas acham que, se nada na boca dói, tudo vai bem. O colesterol alto também não dói, mas é um baita problema. Acho que a população em geral não compreende que a boca faz parte do corpo.
Raul Feres Montealto Filho, cirurgião-dentista, Niterói (RJ)

>> Muitos pacientes meus têm doença periodontal nos dentes de trás, mas os da frente estão bons. Outros têm doen­ça periodontal nos espaços entre os dentes e nas partes internas deles. Isso mostra que as pessoas são mais eficientes na escovação daquilo que enxergam e se esquecem do que exige um pouco mais de esforço para ser alcançado. Graças a isso convivem com a inflamação típica da doença periodontal, por anos, o que pode trazer sérios problemas para a boca e para toda a saúde do corpo.        
Luís Silvestre G. Egreja, periodontista, Mogi Mirim (SP)

>> Se suas mãos sangrarem na hora de lavar, você corre para o médico. Mas, se o mesmo ocorrer na gengiva, a maioria das pessoas acha normal. A menos que se esteja forçando demais a escovação, gengiva sangrando é doença periodontal e ponto final.
Edgard Belladonna, cirurgião-dentista, Niterói (RJ)

>> O conselho de consultar o dentista duas vezes por ano só se aplica a quem tem gengivas saudáveis. E a maioria não tem. Pessoas com doença periodontal devem fazer consultas de controle pelo menos três a quatro vezes por ano.  
Luciana Blanco, periodontista, Rio de Janeiro (RJ)

>> O paciente com doença grave das gengivas deve usar mais vezes o fio dental. É importante manter o local mais limpo a fim de evitar a exacerbação da doença no seu período agudo.
Fernanda Oliveira de Paula, periodontista e implantodontista, Juiz de Fora (MG)

>> Tem gente que me procura com os dentes comprometidos e diz: “Herdei os dentes fracos do meu avô.” As pessoas preferem se convencer de que seus problemas bucais decorrem de heranças ou tendências. Lembro que a principal tendência – na maioria das vezes – é a de não limpar os dentes com a qualidade e a regularidade necessárias e de ir ao dentista apenas nos momentos de desconforto ou dor.
Rodrigo Guerreiro Bueno de Moraes, cirurgião-dentista, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Periodontia, São Paulo (SP)

>> A quem me pergunta se é necessário passar o fio dental em todos os dentes, eu costumo responder que não. Só devemos passar o fio dental nos dentes que queremos conservar!
Sarina Maliki, cirurgiã-dentista, Rio de Janeiro (RJ)

>> Quando conhecemos alguém, a primeira coisa que notamos são os olhos. A segunda são os dentes e a terceira é o cabelo. Mas todos gastam muito mais dinheiro com o cabelo do que com os dentes. Parece haver uma inversão de valores quanto à saúde bucal.
Luciana Blanco


Nosso nariz funciona
>> Escovar não vai fundo na gengiva a ponto de alcançar a placa que provoca o mau hálito. O uso do fio dental, antes de cada escovação,  é  imprescindível. Ele remove as partículas de alimento dos sulcos gengivais, e a escova, junto com o dentifrício, faz o resto.
Lourdes M. Gabas, cirurgiã-dentista, PrimaVida, Rio de Janeiro (RJ)

>> Pacientes com aparelhos fixos de correção dentária costumam se queixar de mau hálito. É importante lembrar que restos alimentares ficam presos ao aparelho; por isso é necessário escovar os dentes a cada alimento ingerido.
Gisele Patrícia de S. A. Machado, ortodontista, PrimaVida, Rio de Janeiro (RJ)

>> Quem fuma tenta disfarçar com balas de hortelã e líquidos para bochechar, mas o mau cheiro está entranhado no tecido da gengiva e na boca.
Fernanda Oliveira de Paula

>> Bochechos com soluções mentoladas só mascaram problemas periodontais mais sérios. Não dá para corrigir o mau hálito sem tratar a doen­­ça que o provoca.
Lourdes M. Gabas


Nova e melhorada? Sei...
>> Há um limite ao que a pasta de dentes pode fazer. Nova fórmula branqueadora? Ela pode tirar manchas superficiais, mas não vai branquear como o tratamento específico.
Katia Order Magro, cirurgiã-dentista e bucomaxilofacial, São Paulo (SP)

>> Existem pessoas que deixam a escova destampada sobre a pia. Mas, ao darem descarga, estão contaminando a escova com coliformes fecais. O ideal é guardá-la no armário ou na gaveta, ou usar um protetor. Se ficar exposta, faça a higienização colocando a escova de molho em solução com clorexidina.        
Fernanda Oliveira de Paula

>> Escovas elétricas são boas, mas não melhores do que as tradicionais. Elas imprimem sobre os dentes uma mesma força, não atingindo áreas de difícil limpeza. O que faz a diferença na escovação é a dedicação e o tempo.
Jane Maria de Alcântara, cirurgiã-dentista, Grupo Negrini, Rio de Janeiro (RJ)

>> Naturalmente, mesmo em pessoas sadias, a boca é cheia de bactérias, portanto é impossível esterilizá-la. Mas não se preocupe. Uma boa técnica de higienização, que empregue corretamente a escova e o fio dental, e um controle adequado da alimentação são suficientes para se manter dentes e gengivas saudáveis.
Edson Jorge Lima Moreira, endodontista, Rio de Janeiro (RJ)


A culpa é dos pais!
>> Não é raro ver uma criança linda e bem-vestida com dentes cariados até a gengiva. E recebo adolescentes de família rica com nove cáries. É o colapso total da supervisão dos pais.
Simone M. Rocha Oliveira, dentista-radiologista, Bom Despacho (MG)

>> Nos últimos 20 anos, advertimos os pais sobre as cáries em dentes de leite, para que não deixassem a criança dormir com a mamadeira adoçada. Mas ainda há tolerância com o consumo de açúcar e alimentos inadequados na infância.      
Celso Emilio Tormena Júnior, cirurgião-dentista, e Giovana Tormena, nutricionista, São Paulo (SP)

>> As bactérias que causam a doença cárie podem passar da mãe para o bebê pela saliva. Se a mãe tem lesões de cáries ativas, ela contamina a criança quan­­do passa alimentos da sua boca para a do bebê (prova a comida dele) ou por meio de beijinhos na boca, pondo em risco a saúde do filho.
Cristini R. Mendes Moraes, odontopediatra, Juiz de Fora (MG)

>> Crianças com problemas dentais podem não ter bom rendimento escolar. Com dor de dente, ela não dorme bem à noite e, por isso, não rende durante o dia. Na escola, passa mal, tem sono e chega agitada. Além disso, não se alimenta bem.
João Felipe Santiago, odontopediatra, Rio de Janeiro (RJ)

>> Muitos dentes de leite com abscessos ou bem cariados são extraídos de crianças no Brasil. Muitos pais acham que não há razão para cuidar dos dentes de leite porque eles vão cair e serão substituídos por permanentes. Mas, quando um dente cai de forma prematura, os outros podem se amontoar para preencher o espaço, dificultando a erupção dos definitivos. Sem o tratamento correto de manutenção do espaço, o desenvolvimento do sistema mastigatório pode ficar seriamente comprometido.
José Luiz Pontes Macedo, periodontista e implantodontista, Rio de Janeiro (RJ)



Conselhos grátis
>> Muitos dentistas indicam a goma de mascar à base de xilitol para reduzir as bactérias da boca. No entanto, seu uso contínuo pode provocar danos na articulação temporomandibular. Esporadicamente, caso não seja possível a escovação, pode-se optar pela goma.
Neuza Maria Souza Picorelli Assis, cirurgiã-dentista e professora da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG)

>> Há quem desista do branqueamento dentário porque o gel irrita dentes e gengivas. Basta usar um gel ou algum produto de enxaguar que contenha flúor antes e depois; os dentes ficarão bem menos sensíveis.
Simone M. Rocha Oliveira

>> Quando se faz piercing na boca (língua e lábios), há risco imenso de infecção se o ambiente não for de fato esterilizado. Mesmo quando tudo dá certo, muitos pacientes com piercing na língua podem lascar os dentes da frente. Sempre oriento meus pacientes a não usar piercing!
Cristini R. Mendes Moraes


Pare de se preocupar
>> Obturações de amálgama liberam pequena quantidade de mercúrio na boca com o desgaste. Mas seria preciso ter umas 300 obturações para que o nível de mercúrio subisse a ponto de ser perigoso.    Claudia Cabrini Pinto De Lucca, cirurgiã-dentista, Juiz de Fora (MG)

>> Obturações de amálgama ainda são excelentes materiais, mas, hoje, com a evolução das resinas (daaaaa cor do dente), e considerando o seu valor estético, fica difícil indicar amálgamas, principalmente em consultórios particulares.
Marco José Salvato Moreira, cirurgião-dentista, Muriaé (MG)

>> Recebo muitos pacientes que querem trocar restaurações de amálgama por restaurações estéticas, da cor do dente. Só se deve sugerir a troca caso haja alguma alteração com a restauração, ou presença de cárie.
Cristini R. Mendes Moraes

>> Muitos pacientes acham que radiografias feitas no consultório podem causar câncer. Mas quem fica exposto ao sol forte por uma hora recebe mais radiação do que quem radiografa os dentes. O que não é concebível é deixar de diagnosticar algo grave por não se fazer a radiografia.  
Edson Jorge Lima Moreira
fonte revista seleçoes

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Marcadores

Follow by Email

Recent Posts

Postagens populares

Minha lista de blogs