pesquisa magos da luz

Custom Search
------------------- -------------------------------------
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

15 de jul de 2010

lavas astral

envie seu relato sobrenatural ou pergunta

para que os leitores possa responder


piresvale@gmail.com

os melhores relatos serão divulgado aqui
LARVAS ASTRAIS E VAMPIRISMO
A chamada larva astral tem sido muito confundida com espírito e até com a alma, mas na verdade a larva astral nada mais é que um resíduo de energia em dissolução que se desprende das pessoas após a morte. Essa energia, por imitação mecânica, vai vagar em busca da satisfação dos instintos, as sensações a que estava acostumada quando seu antigo hospedeiro era vivo. Larva astral é o mesmo que PARASITA .
Vamos tomar como um exemplo um drogado. Passou parte de sua vida se entregando ao vício, onde encontrava satisfação e isso o acabou matando. Ao morrer, algo semelhante (mas não é) a um corpo astral se solta do corpo. Ainda conserva os co ntornos mas vai perder a capacidade de conservá-lo. É um molde de energia pesada, de baixa vibração. Para tentar prolongar sua existência vai ir em busca da satisfação do que lhe dava prazer quando seu hospedeiro estava vivo.
Vai vagar em busca de um drogado. Enquanto não encontra, vai perdendo os contornos, de forma que a larva astral do tipo padrão é sempre descrita como uma espécie de nuvem, algo como um "pedaço de neblina" , que vai ficando cada vez mais transparente pois vai aos poucos sendo absorvida pelo telurismo terrestre, até desaparecer.
Ao encontrar alguém com o mesmo perfil do antigo hospedeiro, sempre por imitação mecânica, vai se apegar a essa pessoa, grudando-se em sua aura. E dali vai incentivar esse drogado a se drogar cada vez mais, pois, por estar agarrada à aura dele, a larva astral vai conseguir sentir alguns vislumbres das sensações que o drogado está experimentando, e isso dará à larva alguns instantes de prazer, o prazer a que estava acostumada.
Convém não esquecer que a larva astral é um parasita, e como todo parasita, vai exaurir seu hospedeiro até matá-lo.
No exemplo do drogado, ela vai fazer com que ele busque um "prazer" cada vez mais intenso, por uma razão simples : a larva precisará que as doses do viciado sejam cada vez maiores para que ela possa continuar sentindo.
Mas ela vai lentamente perdendo as forças, pois a existência de uma larva astral é relativamente curta. Mas até que ela tenha sido extinta ela já deixou a sua vítima em um estado tal que sua morte é uma certeza. E ao morrer, ele desprenderá sua própria larva astral, que também precisará se satisfazer e por sua vez sairá em busca de um hospedeiro, dando continuidade a um ciclo.
Todo tipo de vício atrai larvas astrais, cada uma de acordo com suas necessidades.
Há larvas astrais que encontram prazer no alcool, e por isso se grudam na aura de alcoólatras e os incentivam a beber cada vez mais. Mas as práticas de magias e rituais descontrolados também são um vício para muitas pessoas. Pessoas que, sem habilitação, de repente se metem com a Magia e passam a fazer dela a sua razão de ser, a transformam em vício. Há larvas astrais que são atraídas por isso, pois encontram satisfação em estarem unidas a pessoas assim.
Larvas costumam se manifestar em sessões espíritas mal-orientadas, e enganam os médiuns. São as larvas que costumam se apresentar e pedir sacrifícios de animais em troca da concessão de pedidos.
É que seja qual for o tipo de larva, invariavelmente todas elas se sentem atraídas pelo sangue fresco. Matadouros, por exemplos, são lugares incrivelmente insalubres, pela concentração de larvas ali. Os vapores do sangue dão às larvas a sensação de vida, e por isso muitas delas enganam médiuns e pedem "oferendas", na forma de sangue de animais, e para dar credibilidade se apresentam usando nomes de entidades que nos seus respectivos panteões são espíritos de luz. Poucas pessoas se dão conta do porque um espírito de luz iria pedir sangue como oferenda, e que não se trata do espírito iluminado e sim de uma larva astral que usa o nome dele.
Esta é uma larva astral clássica, já sem os contornos antigos. Por alguma razão esta se sente atraída por este ambiente. Esta foto foi tirada em uma casa que foi posta à venda. É uma foto tirada apenas para mostrar aos interessados no imóvel mas ao ser revelada mostrou que o ambiente não está completamente vazio.
É comum que se fotografem larvas astrais. Normalmente a pessoa que fotografa não vê nada disto na hora da foto, e isto só aparece na hora da revelação da foto.
Na foto abaixo, há uma curio sidade : a criança da foto dizia ver o avô, recentemente falecido. E apontava para o vazio e parecia brincar com o avô, que, em vida, passava muito tempo com o neto. Em uma dessas ocasiões em que a criança insistia ver o avô uma foto foi batida e isso apareceu :
Parece que o vício do avô era seu neto, e conclui-se que sua larva astral busca satisfação na única coisa que lhe dava prazer em vida.
Mas uma outra foto foi batida na mesma casa e outra coisa estranha apareceu :
Tem-se a idéia de que a larva astral do avô tem uma necessidade de estar próxima às crianças da casa.
Agora veja a foto abaixo. Mostra um grupo de jovens de hábitos não muito recomendáveis. Observe-se as larvas que os rodeiam:
Onde houver a possibilidade da satisfação do instinto lá estarão as larvas que se sintam atraídas por esta satisfação. A simples reunião de pessoas mal-intencionadas já é suficiente para atrair as larvas, pois o contato é feito por empatia, ou seja, por afinidade.
Pessoas más, que vivem desejando o mal para os outros estão sempre cercadas por larvas astrais. São parasitas. É preciso que se livre delas.
Larvas Astrais II
  No Capítulo anterior expliquei o que é uma larva astral e foram dados alguns exemplos. Agora explico que muitas larvas não se limitam a circundar pessoas. Algumas sugam energias de ambientes. Por exemplo, muitos prédios históricos, especialmente os que tenham sido palco de tragédias, tem uma população de larvas astrais, embora seja uma "população" constantemente renovada em função da sua curta existência.
Existem pessoas que, quando vivas, eram fanáticas religiosas. Não será pelo fato de que morreu que seria diferente : sua larva buscará aquilo que lhe dava prazer, que é o fervor religioso. E por isso muitas larvas habitam templos religiosos, se nutrindo da fé das pessoas que freqüentam aqueles lugares.

Uma grande Amiga minha, a Galiza, em uma viagem de férias no Reino Unido, estava em Londres e como todo turista trouxe fotos. Algumas dessas fotos mostravam coisas impressionantes.
Seguindo em sua viagem de férias, ao passar por Paris, a Galiza fotografou alguns lugares que achou interessantes e ao revelar esta foto tirada na Rue Cortot , em Montmartre, haviam mais larvas lá, em plena rua :
Trata-se do tipo clássico, que se manifesta como névoa, por mais radiante que esteja o dia. Por alguma razão que não sei qual seria um tipo de larva se concentra nesse logradouro, assim como em muitos outros. Esse tipo de registro acontece ao acaso
Larvas Astrais e Mentais

Essas entidades do mental e do astral inferiores se alimentam de nossos pensamentos e desejos negativos e destrutivos. Normalmente são gerados em locais onde há uma Egrégora, ou seja, um ambiente que congrega pessoas que têm um pensamento, sentimento ou atitude característicos, como bares, bordéis, prostíbulos etc. Os elementares, também conhecidos como Elementários ou Larvas Astrais, podem ser gerados em nossos lares ou ambientes de trabalho quando se gera um hábito ou pensamento negativo. Eis alguns tipos de larvas astrais:

Dragões: formas-pensamento criadas em prostíbulos, bordéis, boates e congêneres.Íncubos e Súcubos: nascidos de fantasias sexuais, sonhos eróticos e masturbações contínuas. Os íncubos acompanham as mulheres e os súcubos permanecem na atmosfera áurica dos homens.
Fantasmatas: átomos putrefatos desprendidos de cadáveres. Fixam-se nas pessoas emocionalmente receptivas que visitam cemitérios e/ou que ficam pensando em pessoas falecidas.

Leos e Áspis: Nascem de atitudes ligadas ao orgulho e ira exacerbados, em reuniões de partidos políticos, desfiles militares e discussões que não levam a nada.
Mantícoras e Basiliscos: gerados em atos sexuais anti-naturais.

Há muitos outros, como os Vermes da Lua, Caballis e Vampiros, que se
alimentam de sangue (locais onde houver mênstruo, matadouros, depósitos de lixo hospitalar etc.), comida apodrecida, casas sujas etc...

Muitas dessas Larvas podem ser destruídas com as defumações, aliadas
a trabalhos mágicos, com orações e rituais de limpeza.

Existem alguns elementos de comprovada eficácia, como aloés, mirra, cânfora, assafétida, pau d'alho, arruda, alecrim, benjoim, a casca de alho, enxofre(em pequena quantidade) e zimbro. Tais produtos, repito, se queimados num turíbulo, ou qualquer receptáculo com carvão em brasas, irradiam junto com a fumaça desprendida múltiplos elementos purificadores da aura.

Existem por outro lado ervas que conseguem produzir um clima emocional superior, sutil, atraindo a atenção e presença de elementais e anjos. Temos, p.ex., óleo de rosas, heliotrópio, nardo, murta, além do mais famoso de todos, o olíbano, popularmente conhecido como incenso de igreja.
Aceita-se no esoterismo e nas práticas mágicas que a fumaça do olíbano tem a propriedade de criar um ambiente propício para a comunhão religiosa, devocional. Os elementais solares do incenso produzem uma vibração capaz de criar um estado receptivo para a captação das mensagens inspirativas e intuitivas que vêm das dimensões superiores.

Prática

Vá a um parque e escolha uma árvore frondosa e cheia de vida que tenha atraído sua atenção. Peça permissão ao elemental dessa árvore e coloque suas mãos em seu tronco. Feche os olhos e sinta a energia que sai dessa árvore. Se possível, vocalize o mantra AOM e dê Amor a esse ser. Peça-lhe que encha seu corpo e sua Alma com a energia que sai dele. Peça-lhe um sinal de seu amor para você. Se possível, volte para casa e entre em meditação, aproveitando a força recebida. em outras ocasiões, dirija a energia desse elemental para a cura e harmonia de alguém que necessite.
O que são Larvas Astrais?
Quando começamos a estudar os ataques psíquicos, sempre vemos sobre
as Larvas Astrais, mas muitas vezes nem ao menos sabemos o que é.

As Larvas Astrais nada mais são do que formas mentais e emoções negativas que se cristalizaram no mundo astral, sob formas de larvas, um tipo de vírus astral, invisível aos olhos do ser humano normal.

As Larvas podem ser classificadas em dois tipos:

Espíritos desencarnados e sem conhecimento espiritual, ou partes de
auras e espíritos de pessoas extremamente negativas... Totalmente desprovidos da razão acabam tornando-se meramente Larvas.
Larvas criadas por pensamentos e emoções ruins.

O segundo tipo é um dos mais perigosos, pois pode ser criado por acaso em um momento de briga, por exemplo, ou então até mesmo por magos poderosos que tencionam usá-los para prejudicar alguém. Este tipo de Larva muitas vezes ataca quem o criou porque quem fez isso, não tinha o conhecimento e o poder necessário para controlá-la satisfatoriamente.
As Larvas atacam aderindo a nossa aura e sugando nossa energia e nfluenciando nossos pensamentos e ações. Ao aderirem a nossa aura,
a Larva extrai o prana e substâncias materiais de nosso corpo, mente
e alma.
As Larvas extraem o prana para poderem manter-se vivas, já que ao
ficar um certo tempo sem um hospedeiro, as Larvas tem a desintegração como destino... E extraem substâncias materiais para poderem aplacar suas vontades dos vícios de personalidade, comoálcool, drogas, sexo e fumo.


O Vampiro pode estar ao seu lado
Dez formas para identificá-lo
Todos nós os conhecemos! Sabemos como são! Como se vestem! E como
agem! E seus propósitos: sugar o sangue de suas vítimas, pois só assim eles sobrevivem. De quem estamos falando??? É claro que dos "Vampiros dos filmes", o Conde Drácula e seus amigos, seres errantes de capa preta e grandes dentes, ávidos por sangue (ou energia vital), e que andam pelas sombras em busca de suas vítimas que, na maioria das vezes, não percebem sua presença ou atuação maléfica, mesmo que estejam muito próximos.

Existe um tipo de vampiro que é de carne e osso, e que convivemos diariamente. Estamos falando dos "Vampiros de Energia". Os Vampiros
de Energia são pessoas de nosso relacionamento diário. Pode ser
nosso irmão(a), marido/esposa, empregado, familiar, amigo de
trabalho. vizinhos, gerente do banco, ou seja qualquer pessoa de
nosso convívio, que esta roubando nossas energias, para se
abastecer. Eles roubam energia vital, comum no universo, mas que
eles não conseguem receber.
Mas, por que estas pessoas sugam nossa energia, afinal? Bem, em
primeiro lugar a maioria dos "Vampiros de Energia" atuam
inconscientemente, sugando a energia de suas vítimas, sem saber o
que estão fazendo.
O vampirismo ocorre porque as pessoas não conseguem absorver as
energias das fontes naturais (cósmicas, telúricas, etc), tão
abundantes, e ficam desequilibradas energeticamente. Quando as
pessoas bloqueiam o recebimento destas energias naturais (ou
vitais), elas precisam encontrar outras fontes de energia mais
próxima, que nada mais são do que as outras pessoas, ou seja, você.
Na verdade, quase todos nós, num momento ou outro de nossas vidas,
quando nos encontramos em um estado de desequilíbrio, acabamos nos
tornando Vampiros de Energia alheia.
Mas, como identificar estas pessoas, ou estes vampiros? Em estudos
feitos, foram identificados os seguintes tipos de vampiros (você
provavelmente conhece mais de um):
a) Vampiro Cobrador: Cobra sempre, de tudo e todos. Quando nos
encontramos com ele, já vem cobrando o porque não lhe telefonamos ou
visitamos. Se você vestir a carapuça e se sentir culpado, estará
abrindo as portas. O melhor a fazer é usar de sua própria arma, ou
seja, cobrar de volta e perguntar porque ele não liga ou aparece.
Deixe-o confuso, não o deixe retrucar e se retire rapidamente.
b) Vampiro Crítico: é aquele que critica a tudo e a todos, e o pior
que é só critica negativa e destrutiva. Vê a vida somente pelo lado
sombrio. A maledicência tende a criar na vítima um estado de alma
escuro e pesado e abrirá seu sistema para que a energia seja sugada.
Diga "não" às suas críticas. Nunca concorde com ele. A vida não é
tão negra assim. Não entre nesta vibração. O melhor é cair fora e
cortar até todo o tipo de contato.
c) Vampiro Adulador: é o famoso "puxa-saco". Adula o ego da vítima,
cobrindo-a de lisonjas e elogios falsos, tentando seduzir pela
adulação. Muito cuidado para não dar ouvidos ao adulador, pois ele
simplesmente espera que o orgulho da vítima abra as portas da aura
para sugar a energia.
d) Vampiro Reclamador: é aquele tipo que reclama de tudo, de todos,
da vida do governo, do tempo, etc. Opõe-se a tudo, exige,
reivindica, protesta sem parar. E o mais engraçado é que nem sempre
dispõe de argumentos sólidos e válidos para justificar seus
protestos. Melhor tática é deixá-lo falando sozinho.
e) Vampiro Inquiridor: sua língua é uma metralhadora. Dispara
perguntas sobre tudo, e não dá tempo para que a vítima responda,
pois já dispara mais uma rajada de perguntas. Na verdade, ele não
quer respostas e, sim, apenas desestabilizar o equilíbrio mental da
vítima, perturbando seu fluxo normal de pensamentos. Para sair de
suas garras, não ocupe sua mente à procura de respostas. Para cortar
seu ataque, reaja fazendo-lhe uma pergunta bem pessoal e
contundente, e procure se afastar assim que possível.

f) Vampiro Lamentoso: são os lamentadores profissionais, que anos a
fio choram suas desgraças. Para sugar a energia da vítima, ataca pelo lado emocional e afetivo. Chora, lamenta-se e faz de tudo para despertar pena. È sempre o coitado, a vítima. Só há um jeito de tratar com este tipo de vampiro, é cortando suas asas. Corte suas lamentações dizendo que não gosta de queixas, ainda mais que não elas não resolvem situação alguma.
g) Vampiro Pegajoso: investe contra as portas da sensualidade e sexualidade da vítima. Aproxima-se como se quisesse lambê-la com os olhos, com as mãos, com a língua. Parece um polvo querendo envolver a pessoa com seus tentáculos. Se você não escapar rápido, ele irá sugar sua energia em qualquer uma das possibilidades, seja conseguindo seduzi-lo com seu jogo pegajoso, seja provocando náuseas e repulsa. Em ambos os casos você estará desestabilizado, e, portanto, vulnerável. Saia o mais rápido possível. Invente uma desculpa e fuja rapidamente.
h) Vampiro Grilo-Falante: a porta de entrada que ele quer arrombar é o seu ouvido. Fala, absoluto, durante horas, enquanto mantém a atenção da vítima ocupada, suga sua energia vital. Para livrar-se, invente uma desculpa, levante-se e vá embora.
i) Vampiro Hipocondríaco: cada dia aparece com uma doença nova.
Adora colecionar bula de remédios. Desse jeito chama a atenção dos
outros, despertando preocupação e cuidados. Enquanto descreve os
pormenores de seus males e conta seus infindáveis sofrimentos, rouba
a energia do ouvinte, que depois se sente péssimo.
j) Vampiro Encrenqueiro: para ele, o mundo é um campo de batalha onde as coisas só são resolvidas na base do tapa. Quer que a vítima compre a sua briga, provocando nela um estado raivoso, irado e agressivo. Esse é um dos métodos mais eficientes para desestabilizar a vítima e roubar-lhe a energia.
Não dê campo para agressividade, procure manter a calma e corte laços com este vampiro.
Bem, agora que você já conhece como agem os Vampiros de Energia, vá a caça deles, ou melhor, saia fora deles o mais rápido possível.Mas, não esqueça de verificar se você, sem querer, é obvio, não é um destes tipos de Vampiro.
Esse texto pertence ao Mago Daniel
contato para este site:: sergiodeobaluae @gmail.com.br 
http://www.sergiocigano.com.br/reportagens_lavas.htm

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Marcadores

Follow by Email

Recent Posts

Postagens populares

Minha lista de blogs