pesquisa magos da luz

Custom Search
------------------- -------------------------------------
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

26 de abr de 2011

casas assombradas realidade (relato)

envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui

Olá pessoal, olha eu aqui de novo, esse é meu segundo relato, e pra variar, aconteceu na casa onde morei há 3 anos atrás.

Há muito tempo atrás, quando eu tinha meus 12 anos (aproximadamente), meus pais eram feirantes, devido a isso, íamos para a feira municipal da cidade todos os domingos. Vendíamos caldo de cana na feira, o que nos ajudava com a renda em casa.

Eu sou filha única, sempre morei com meus pais, até meus 21 anos, pelo menos. Lembro-me que quando fazíamos feira, ficávamos ao lado da barraca de pastel da Dona Maria, uma japonesa muito gentil. Ela tinha vários ajudantes, adolescentes em sua maioria, e meu pai, tinha uma grande amizade com dois deles. Um chamava-se Silvano e o outro Sérgio.
Um desses domingos, meu pai convidou Sérgio e Silvano para irem em nossa casa, para fazer uma visita, os dois adoravam andar de bike, como meu pai, então teriam muito o que conversar.
Após a feira, nesse dia, fomos para casa normalmente. Ao chegar, descarregamos a carga da comb, arrumamos as coisas, e eu subi pro meu quarto. Essa antiga casa, tinha 3 quartos, um que sempre foi ocupado por mim, outro que era ocupado por meus pais e um terceiro que usávamos para assistir TV ou ouvir musica, pois por sermos evangélicos de doutrina protestante rígida, nada dessas coisas, poderiam ser feitas na sala.
Nesse dia, entrei em meu quarto e fui ouvir música, foi quando vi um rapaz de cabeça raspada e a face turva por uma neblina estranha, passar em frente do quarto. Vi como um vulto, ele usava vestes brancas até os pés, seus cabelos estavam raspados.
Após este ocorrido, fiquei um tempo parada pensando, se havia mesmo visto aquilo ou se havia sido um sonho. Por fim, decidi não pensar mais nisso.
No domingo seguinte, fomos para a feira, e encontramos apenas um dos ajudantes da barraca de pastel da Dona Maria, Sérgio.
Sérgio costumava ser bem humorado e adorava conversar, neste dia, porém, estava calado e sério. Quando perguntamos o que havia acontecido, ele nos contou, que no dia que estavam indo para nossa casa, haviam pego um caminhão no caminho e o Silvano, que era o outro menino, caiu sob as rodas do caminhão e morreu. Após este domingo, acostumei a voltar para casa da feira e ver algumas vezes um vulto de branco no corredor, próximo ao meu quarto.
Com o tempo, comecei a ignorar esta presença, até que deixei de ver.


FOTO: sxc.hu


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Marcadores

Follow by Email

Recent Posts

Postagens populares

Minha lista de blogs