pesquisa magos da luz

Custom Search
------------------- -------------------------------------
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

9 de fev de 2012

Câncer



Câncer - 21 de Junho a 22 de Julho

"A ti Câncer, atribuo a tarefa de ensinar aos homens a emoção.

Minha idéia é que provoques neles risos e lágrimas, e a plenitude dos sentimentos.

Para isso Eu te dou o Dom da Família, para que tua plenitude possa se multiplicar.
"

E Câncer voltou ao seu lugar.

Principal Característica: sentimento.
Qualidades: empatia, sensibilidade.
Defeitos: possessividade, apego ao passado, instabilidade.

Elemento: água
Qualidade: cardinal
Polaridade: feminino
Planeta regente: Lua
Exílio: Saturno
Exaltação: Júpiter
Queda: Marte

O símbolo gráfico de câncer sugere um fechamento protetor, um "ninho", um abrigo, símbolo também da gestação e da maternidade. Primeiro signo da água representa a sensibilidade, o sentimento, a nutrição emocional. O caranguejo é de movimentos cuidadosos, protegido por sua casca, vivendo entre a água e a terra. Com suas antenas para a frente e o rabo para trás, o caranguejo expressa a fé e a gratidão. Signo regido pela lua, que é o domínio do inconsciente, das emoções, do sonho, da imaginação. Características: proteção, receptividade, sentimentos, sensibilidade, ternura, criatividade artística, intuição, carência, comportamento "lunático", fantasia, impressionabilidade, vulnerabilidade psíquica e emocional, insegurança, dificuldade de cortar o "cordão umbilical", de romper com o passado. O canceriano é um ser que vive em função de seus sentimentos e imaginação, com grande sensibilidade e intuição. Tem fases, como a lua...





Mitos do signo de Câncer

Na mitologia hindu, há figura de Kali, uma mulher sentada, com oito braços nas costas, amamentando uma criança com a mão direita enquanto devora outra criança com a esquerda. Símbolo da mãe que alimenta fisicamente e nutre, ao mesmo tempo que impede o pleno desenvolvimento da individualidade da criança que é alimentada. Há outra figura mitológica grega que representa o núcleo canceriano: a deusa Hera e o caranguejo que vivia no pântano da Hidra de Lerna. Enfrentar a Hidra, um monstro de muitas cabeças, foi o segundo dos trabalhos de Hércules.

Zeus tramou a imortalidade de seu filho mortal preferido - Hércules. Adormecendo Hera fez com que a criança sugasse o seio da deusa. Hera acordou e nunca perdoou essa atitude, passando a odiar Hércules.

Hera enviou então um imenso caranguejo para o pântano, para que investisse contra Hércules pelas costas, no momento em que ele enfrentava a Hidra, "pinçando-o" pelas ancas e pelos pés. Entretanto, Hércules conseguiu matar o caranguejo e depois derrotar a Hidra. Este episódio mostra a raiva de Hera contra a possibilidade de independência e identidade individual de sua criatura.

Como reconhecer uma pessoa de Câncer

Eles são sensíveis, sensatos, solícitos e vivem em busca do tempo perdido. É fácil notá-los, e encantar-se à primeira vista: abrirão portas e puxarão cadeiras se forem caranguejos-macho, ou se oferecerão para consertar aquele abajur quebrado, se forem caranguejos-fêmeas, enquanto lhe contam o quanto, mas quanto mesmo, foram felizes na infância. O canceriano é um idealizador do passado, e para ele nunca houve época mais feliz que a época do ginásio, ou aqueles meses em que ele passava as férias com todos os primos, no sítio do avô, ou aquele dia muito particular em que ganhou a primeira bicicleta. Pode até não ser verdade - mas o conceito de verdade, para um canceriano, é totalmente sentimental. Esta é a marca registrada deste signo de água, regido pela Lua: eles são movidos a sentimentos. Realidade, para eles, é o que eles sentem, e nenhuma análise fria, objetiva, e matemática dos fatos vai convencê-los do contrário.

Não adianta, por exemplo, insistir que é melhor pegar um ponte aérea para passar o fim de semana no Rio, em vez de perder oito horas na Dutra e desmaiar de cansaço no sábado e domingo se eles "sentem" que o avião pode cair. Eles são tão amáveis e corteses que às vezes se demora para perceber o quanto são refratários a sugestões. Não ouse perguntar porque eles não vão ao teatro, se a última peça que eles assistiram foi em 1969 e as coisas evoluíram um pouquinho desde então. "Não vou porque não vou", ele lhe responderá provavelmente porque sente algo absolutamente incomunicável. "Porque sim" e "porque não" são as expressões mais freqüentes do repertório do caranguejo.

É que ele, apesar de conservador, é também um cara de lua. Suas opiniões variam barbaramente, indo num mesmo dia do grau zero ao grau máximo da escala Richter de emotividade. A instabilidade do caranguejo, porém, não tem nada a ver com a volubilidade do geminiano: enquanto aquele borboleteia entre duas idéias, este oscila entre vários humores. Mas seus ataques de melancolia passam tão rápido quanto vieram: basta que você ofereça um pouco de colo e ele terá de volta tudo que mais necessita, isto é, segurança, segurança e segurança.

Perfil Detalhado do Signo de Câncer

Em Câncer, é preciso digerir tudo o que foi feito anteriormente, assentar a criação em uma base firme, integrá-la no ambiente coletivo em que todos vivem para que ela possa ser incorporada, e também deixar suas sementes para um futuro que não se conhece ainda. E exatamente isso é que Câncer faz e assim irá agir na vida: interiorizando o que vive, assentando em sua vida o que aprendeu, criando um apoio para as pessoas que considera iguais – e daí criando o conceito de uma família, ou tribo – onde irá gestar e nutrir, acalentando sonhos, o futuro de toda a coletividade.

Instável como as marés, relacionada a este signo, que está sob a regência da Lua, o astro regente, Câncer se move de acordo com seu instinto de proteção, seu sentimento e suas emoções. Essa internalização é que corresponde ao tipo Câncer, que é sonhador, um pouco tímido, ligado no cuidado da prole, preocupado com o futuro, mas com um olho no passado, um signo de silêncio, de auto-proteção, pois a semente precisa estar cercada de cuidados para poder germinar na proteção do escuro, longe dos olhares e dos comentários.

Daí que dizemos que quando um projeto está sendo gestado, é melhor guardar segredo, não expor a notícia ao mundo, aguardando quando ela romper a terra e mostrar seus primeiros galhinhos verdes. Essa é a natureza Câncer. Para cumprir com essa função, de sentir o que é preciso para garantir a gestação, Câncer se torna ou um eterno sonhador, sedentário e apegado demais à pátria, à família ou às tradições, cheio de manias que considera fundamentais, ou se inibe, tornando-se resignado e melancólico.

Este signo inaugura o segundo processo trifásico dentro do ciclo maior de criação do universo, iniciado em Áries. (O primeiro processo trifásico compreende a ação e manifestação da idéia, que vai de Áries a Gêmeos).

Na saúde, Câncer rege os seios – que nutrem e alimentam - e o estômago – que processa o alimento digerido. Este último órgão é relacionado com um centro de energia (chakra=círculo) de sentimento responsável pela percepção do papel da pessoa dentro do universo, que tem direta relação com a germinação de uma semente – é preciso ter certeza de seu papel no todo maior que é o universo. Doenças e distúrbios nessas áreas refletem alterações nessas funções.

Na profissão, Câncer se destaca naquelas em que seu lado sonhador possa ser aproveitado. A história também é um campo privilegiado para Câncer, assim como todas as que se dedicam à proteção: da arquitetura (que projeta formas de proteção à família) até a psicologia (que promove o bem-estar da pessoa com seu mundo interno), passando pela decoração (que propicia o conforto no lar) e a gastronomia (que fortalece o organismo).

No amor, Câncer é o romântico por excelência, sentimental, que gosta da privacidade e dos pequenos momentos passados na companhia de quem ama, apenas sentindo o prazer da companhia. Imaginativo, Câncer sempre procura conservar o que tem e daí pode se tornar possessivo e carente de atenções quando relegado a segundo plano por causa de outros afazeres.

Seu elemento é a Água, sua pedra é o abalone, a madrepérola, a pérola e todas as leitosas e furta-cores, seu metal é a prata, sua cor é o branco-leitoso e o os tons pálidos e lavados do azul, do verde e do cinza. Planeta regente: não é um planeta, mas nosso satélite, a Lua.

Análise do Canceriano

Como você sabe, o temperamento dos outros tem efeito direto em suas próprias emoções e isso se estende até a área sexual. Seu comportamento ou atividade sexual tende a ser harmônico; o que significa que Câncer se concentra em dar em vez de receber prazer. Aparentemente, isso pode parecer nobre. Até certo ponto, é louvável. Sexo é um impulso poderoso; sem ele a vida deixaria de existir. Dar prazer em vez de receber pode criar um dilema. Se o ego de seu parceiro requer a satisfação de saber se ele ou ela proporcionou prazer, o seu comportamento sexual pode ser um problema. Seu impulso sexual é forte, uma parte muito importante de sua vida. Reconheça isso e receba satisfação assim como a oferece. Você estima a afeição; a proteção da família e a lealdade para os amados é uma parte vital de sua constituição. Mas, Canceriano, quando a lealdade cria "pontos cegos", então, o ajuste à realidade é necessário. Sua lealdade pode ser cega. É necessário, no que se diz respeito ao sexo, torna-se mais individualista, com necessidades,desejos e caprichos individuais. Isso é essencial se quiser obter a verdadeira satisfação. Por outro lado, você é tudo o que um amante poderia desejar: caloroso, doador, correspondente ao toque do amor. Mulheres de Câncer são amáveis e frequentemente, solitárias. Homens de Câncer são emotivos, sensíveis às circunstâncias. Se um romance termina, você é capaz de se ajustar ou reajustar. Raramente desiste de algo por nada. Você possui uma curiosidade saudável quanto ao sexo; às vezes, é difícil saber se o seu impulso é ditado pela paixão ou pela curiosidade. O Canceriano é idealista; seu desejo pelo sexo é direcionado à segurança e ao lar; indo direto ao assunto: seu impulso sexual é forte, mas ele não é, necessariamente, um fim em si mesmo. No sexo, como em outras áreas, seus adversários são o ciúme e a possessividade. Você considera o casamento uma aventura, que inclui o sexo. Quando se trata de sexo, tende a atrair opostos, ou seja, alguém que pode ser considerado como o opostos, ou seja, alguém que possa ser considerado o oposto da formação de seu caráter. Sexo, para o Canceriano, pode vir a ser um meio de mudar os hábitos, renovar o modo de viver. Seus olhos vagueiam mais que você; sua curiosidade é saudável, mas quando não tem escolha, geralmente, se dedica aos compromissos. Quando o amor não vai bem, você então se vira para a comida. E como seu corpo tende a reter líquidos, um romance infeliz pode resultar em um peso extra. Quando infeliz, come sem saborear; come apenas para compensar, e o problema de peso aumenta. Isso pode ser de certa forma um círculo vicioso; quando o amor azeda, a comida se torna doce. Controle o seu apetite; moderação é a saída. Você liga sexo à família, ao lar e a vida doméstica; no ponto de vista do Canceriano, é um elo contínuo. Às vezes, isso é construtivo, por outras, pode ser um engano. Você se torna uma pessoa menos excitante quando se prende à única atitude, que sexo deve estar ligado à família e ao lar. A área sexual é importante; mas no seu caso, há algumas lições óbvias.Você deveria aprender que sexo e reprodução não são, necessariamente, a mesma coisa. Para você, um elemento de mistério é necessário no prazer sexual. Abandone as noções sobre o que é ou não é necessário. Substitua pelo que é bom, prazeroso e satisfatório. Então, Canceriano, você terá boa aparência, se sentirá bem e, na verdade, você estará bem.

A Mãe do signo de Câncer

Se há um signo que é responsável pelos mitos sobre a poderosa, doce, absorvente e carinhosa "Grande Mãe", este signo é Câncer. A canceriana vai até o inferno por seus filhos. Ela corre sérios riscos de ter comportamentos controladores e morre de medo de ver suas crias irem embora.

Confidente, amiga e protetora do núcleo familiar, a mãe de Câncer conta histórias da época de sua avó, cozinha doces antigos e adora montar o álbum de fotos da família. Tudo isso para que seus filhos jamais se esqueçam de onde vieram e saibam para onde ir no futuro.

Não é fácil ter uma canceriana como mãe, mas você jamais a trocaria por outra, não é?

O Pai do signo de Câncer

Este é o pai "mais família" de todo o Zodíaco, quase um rival da mãe. Preocupado demais com os filhos, ele gosta de ser bonzinho. O pai de Câncer entende, conversa e troca afeto. A não ser quando é presa de um terrível mau humor, que faz com que ele se prenda em casa como um gato, evitando o contato com o mundo externo.

Contra essa nuvem perturbadora, só mesmo o carinho e a proximidade dos filhos. É difícil para um homem nascer com o Sol em câncer, pois seu reinado é o mundo do afeto, da subjetividade e de tudo que foi colocado sob a ordem do feminino. Vêm daí suas instabilidades.

Sonhador, ele quer o melhor para sua família e é capaz de se virar do avesso para chegar lá. Costuma gostar de história e de romances compridos. O pai de Câncer se importa com o que é dado e feito de coração.

A Criança do signo de Câncer

A criança canceriana é fria e fechada, com um apego muito grande às coisas do passado. Apega-se facilmente aos avós ou parentes mais velhos.

Tímida e insegura, precisa de afeto, carinho e muita atenção por parte dos pais e irmãos mais velhos. Isso revela um lado frágil, mas não se engane com isso, pois essa criança pode reagir a ponto de machucar quem a magoa. Adoram ser mimadas e precisam de proteção e segurança, escondendo suas emoções e somente as liberando quando se sentem a salvo. Não hesitam em lançar mão da chantagem emocional. Os pais devem ficar atentos a isso.

Características negativas a serem corrigidas são apego ao passado, insegurança, repressão, suscetibilidade e chantagem.

O Futuro
O instinto maternal caracteriza este signo, razão pela qual se dará bem em qualquer atividade que implique em ajudar seus semelhantes. Para aceitar seu trabalho, é preciso que sinta a presença de uma estrutura sólida e permanente como respaldo.

A Saúde
Este signo rege o ventre e o tórax, evidenciando os pontos fracos que são os seios, o estômago, o ventre e o sistema digestivo. A
prisão de ventre pode ser um problema constante dessa criança, que precisa aprender a se alimentar adequadamente. As ulheres
podem ter problemas com nódulos benignos no útero e nas trompas.

Como será sua Chegada em Casa?

Escreva de forma que você não esqueça: esta criatura mudará de estado de espírito como também você muda as fraldas dela. Ele amará tudo o que for relacionado com beber e comer, e as fotografias coloridas. Cada experiência sensorial será para ele ou ela, uma pedra preciosa que manterão guardados no tesouro de sua memória. Embora muitos anos possam passar este nativo de Câncer se lembrará de cada emoção e cada sensação na vida dele e eles poderão se lembrar disto exatamente. As emoções deles são ricas, coloridas e variadas, mas para tudo aquilo este bebê é talvez um pequeno solitário. Jogar com eles será muito divertido. São criaturas com uma expressão divertida e olhos que quase falam por eles. Estes meninos jovens têm necessidades mais emocionais que o Peixes. Tome nota do seguinte: "A influência mais forte e mais importante no canceriano sempre é a atmosfera de sua casa no princípio de seus dias". Eles dependem das reações de seus pais e irmãos. É muito tímido para expressar sua inquietude, mas reservadamente quer ser adorado e mimado. A rejeição por mais simples que seja o destrói. Ser aceito é algo extremamente importante para eles. Embora sejam muito sentimentais, são extremamente independentes e individualistas. Se este broto pequeno seguir a sua essência de Câncer, procurará o modo dele para fazer as coisas. Falando de lágrimas, este pequeno da Lua chorará para mares. Este pequeno exige muita empatia para desenvolver um pouco as qualidades artísticas, criativas e amorosas. Se estas qualidades são desenvolvidas bem, se tornarão pacientes, adultos generosos, com segurança em si mesmos e de coração aberto. Para o oposto, se na infância não se alimentou suas emoções, serão adultos amargos, silenciosos, egoístas, inseguros e apegados às saias de sua mãe. Como é um menino ou a menina sensível, qualquer rejeição por pequena que seja, pode doer profundamente. Um cuidado especial que se deve ter é estimular sua autoconfiança, dizendo-lhe: bonita atitude, inteligente, querido, filho amado. O problema principal é não cair nos extremos e nem ser muito rígido também. A solução é relaxar porque o amor sempre acha a medida. Eles nunca esquecerão de uma data importante como seu aniversário. Você nunca deverá os aborrecer com apelidos ou com defeitos. Eles serão muito frugais e na mocidades procurarão o modo para alcançar seu próprio meio de vida. Ele\Ela tomará conta dos assuntos familiares e sempre será envolvido e interessado neles. A mãe será muito importante ao longo de sua vida. Ele\Ela amará entrar em contato com as memórias, não se preocupando com a distância que se encontre. Por isso sempre tenha em sua cozinha a sobremesa favorita dele/dela esperando pela chegada, que não falhará.

O Animal de Estimação Canceriano

Regidos pela Lua são animais excepcionais com as crianças e gostam do conforto da casa. Os gatos têm bastante medo de sair de casa e mesmo que deixe a porta aberta é raro fugirem. Quanto aos cães, são os melhores amigos e protectores dos donos, crianças e amigos. São animais que gostam de paz e tranquilidade e não de ambientes agitados. Mudanças bruscas na dieta podem afectar o seu estômago sensível.

O beijo do Canceriano

Ternos, carinhosos, protetores. Assim são os beijos "básicos" dos de Câncer, que adoram carinho como poucos no zodíaco. Mais passivos do que ativos, eles preferirão dar espaço para que você dite as "normas" do beijo, e marias-vão-com-as-outras no bom sentido, eles seguirão o seu jeito de beijar. Porém, um aviso: nada de brutalidade com eles, hein? Lembra, você está lidando com Câncer, não com Escorpião, então nada de mordidas de tirar sangue e beijos tipo José Wilker, certo? Ou você corre o risco de o seu carangueijinho fugir apavorado, gritando mamãe.

Rituais para o Ano novo do Canceriano

No dia 31, liste num papel os assuntos difíceis de sua vida. Queime a lista, mentalizando o desaparecimento de vínculos que não deseja mais. Pinte num papel-cartão um sol e escreva "luz, amor e força aqui e agora". Faça ao lado sua lista de intenções. Guarde o cartão na agenda ou numa gaveta. No banho, derrame sobre o corpo um chá de folhas e flores de laranjeira com gotas de alfazema. Peça energia, coragem e auto-estima. Vista-se de amarelo ou laranja, com acessórios de ouro ou metal dourado. À meia-noite, coma sete gomos de tangerina. Plante as sementes ou guarde-as.

Fontes dos textos:

Terra Esotérico
Horoscopo Signo
Portal TopGyn


envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui

7 de fev de 2012

para fazer duas pessoas se odiarem

envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui
 simpatias para fazer duas pessoas se odiarem Pelo poder de São Cipriano (AES) vai se afastar de (AP) definitivamente, que ele não queira mais ve-la,falar com ela,que ele sinta nojo dela e não
queira mais ve-la e que nenhum mais queira saber do outro que se odeiam para sempre. São Cipriano confio nos seus poderes. Agradeço e divulgo 4 vezes para que os dois agora começem a brigar e se odiarem Pelo poder de São Cipriano (AES) vai se afastar de(AP) definitivamente, que ele não queira mais ve-la,falar com ela,que ele sinta nojo dela e não queira mais ve-la e que nenhum mais queira saber do outro que se odeiam para sempre. São Cipriano confio nos seus poderes. Agradeço e divulgo 4 vezes para que os dois agora começem a brigar e se odiarem
simpatias para fazer duas pessoas se odiarem Pelo poder de São Cipriano (AES) vai se afastar de (AP) definitivamente, que ele não queira mais ve-la,falar com ela,que ele sinta nojo dela e não
queira mais ve-la e que nenhum mais queira saber do outro que se odeiam para sempre. São Cipriano confio nos seus poderes. Agradeço e divulgo 4 vezes para que os dois agora começem a brigar e se odiarem Pelo poder de São Cipriano (AES) vai se afastar de(AP) definitivamente, que ele não queira mais ve-la,falar com ela,que ele sinta nojo dela e não queira mais ve-la e que nenhum mais queira saber do outro que se odeiam para sempre. São Cipriano confio nos seus poderes. Agradeço e divulgo 4 vezes para que os dois agora começem a brigar e se odiarem
simpatias para fazer duas pessoas se odiarem Pelo poder de São Cipriano (AES) vai se afastar de (AP) definitivamente, que ele não queira mais ve-la,falar com ela,que ele sinta nojo dela e não
queira mais ve-la e que nenhum mais queira saber do outro que se odeiam para sempre. São Cipriano confio nos seus poderes. Agradeço e divulgo 4 vezes para que os dois agora começem a brigar e se odiarem Pelo poder de São Cipriano (AES) vai se afastar de(AP) definitivamente, que ele não queira mais ve-la,falar com ela,que ele sinta nojo dela e não queira mais ve-la e que nenhum mais queira saber do outro que se odeiam para sempre. São Cipriano confio nos seus poderes. Agradeço e divulgo 4 vezes para que os dois agora começem a brigar e se odiarem
simpatias para fazer duas pessoas se odiarem Pelo poder de São Cipriano (AES) vai se afastar de (AP) definitivamente, que ele não queira mais ve-la,falar com ela,que ele sinta nojo dela e não
queira mais ve-la e que nenhum mais queira saber do outro que se odeiam para sempre. São Cipriano confio nos seus poderes. Agradeço e divulgo 4 vezes para que os dois agora começem a brigar e se odiarem Pelo poder de São Cipriano (AES) vai se afastar de(AP) definitivamente, que ele não queira mais ve-la,falar com ela,que ele sinta nojo dela e não queira mais ve-la e que nenhum mais queira saber do outro que se odeiam para sempre. São Cipriano confio nos seus poderes. Agradeço e divulgo 4 vezes para que os dois agora começem a brigar e se odiarem

Simpatia para o marido broxar com outra

envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui


Simpatia para o marido broxar com outra


Se o seu marido está se comportando meio estranho, está te evitando na cama, saindo muito dizendo que vai ver os amigos e você está com medo de perde-lo, conheço uma simpatia infalível que vai te ajudar!
Essa é a simpatia para o homem broxar com as outras! Fazendo essa magia, você terá seu homem apenas para você. E nem precisa se preocupar se ele sai, pois ele só vai conseguir ter ereção e sentir prazer com você!
Essa eu aprendi com a minha mãe. Ela conhece muitas simpatias poderosas, pois seu casamento com meu pai sempre foi muito conturbado. E minha avó sempre ensinava um feitiço que melhorava as coisas.
Hoje eles são muito felizes, graças a essa simpatia que vou lhes ensinar.
É o seguinte:
Escreva seu nome completo em uma cueca usada do seu marido e enterre num vaso.
Peça a seu Deus que enquanto a cueca estiver enterrada, o (nome do seu marido) não conseguirá ter ereção a não ser que seja com você.

Em seguida urine sobre o vaso em que está enterrada a cueca.
O nome e a urina são seus, então “ele” só vai funcionar com você.
Faça essa simpatia que com certeza o seu marido será só seu e de mais ninguém!
Espero que goste dos resultados e seja muito feliz, pois é uma magia muito forte e realmente vai mudar sua vida para melhor.
Paz e Luz,
Marina Azahar

Simpatia para Casal Brigar feio

envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui


Simpatia para Casal Brigar

vela
Olá, meu nome é Maria Lúcia e estou aqui para pagar a promessa de compartilhar uma simpatia que realmente funcionou e realizou o meu sonho de casar com o homem que eu amo.
Na minha vida toda só me apaixonei por um único rapaz. Foi amor à primeira vista. Eu o conheci quando minha irmã o trouxe lá em casa para apresentá-lo para a família. E desde então eu descobri que ele era o homem da minha vida, que por uma infeliz coincidência a minha irmã havia escolhido para se casar.
Os dois se casaram e mesmo assim eu não conseguia pensar em mais nada a não ser nele. Não conseguia trabalhar, fazer amizades, comprar pão, estudar etc. Eu precisava ter ele pra mim. Mas ele ainda não sabia que era meu.
Então eu descobri essa Simpatia para Separar Casal e no desespero eu fiz.
Não pensem mal de mim. A minha irmã é uma puta biscate de rua, ela nunca ia fazer meu amor feliz!
Essa simpatia é muito poderosa, mas é bem simples de fazer.
Para realizar esse ritual é o seguinte:

Pegue um prato e faça um círculo com sal grosso dentro dele.

Escreva com caneta vermelha o nome do casal. Mentalizando a imagem dos dois brigando e se afastando.

Acenda uma vela no centro do prato.

Repita  3 vezes:

Que fulano e fulana briguem a ponto de se separar o mais rápido possível. Pelos poderes da Cruz de Caravaca

Então pegue o papel escrito e queime lentamente na chama da vela até o fim.
(Cuidado para não se queimar)

Deixe a vela queimar até o final.

No dia seguinte, junte o conteúdo do prato (sal grosso, restos da vela e cinzas do papel escrito).

Despeje esse conteúdo, discretamente, na frente da casa do casal. E saia sem olhar para trás.

Fiz essa simpatia com muita fé, com muita devoção e esperei.
E em menos de um mês eles tiveram uma briga tão feia, parece que por causa de uma DST, e terminaram tudo.
Na mesma hora, é claro, fui correndo para ele e me declarei.
Hoje sou muito feliz com meu amor, nos casamos e recentemente tivemos um filho lindo.
A minha irmã ficou chateada mas passou a biscatear para outros lados e nunca nos incomodou, pois essa simpatia é pra terminar PARA SEMPRE.
Ela nem frequenta as festas de aniversário e de Natal da família quando sabe que eu e ele vamos estar lá.
Funciona mesmo e recomendo. Façam com muita fé.
Apenas não aconselho ficarem fazendo essa simpatia para separar casais por qualquer coisa. Façam apenas por um bom motivo.
Beijos a todas,
Maria Lúcia.

Simpatia para conquistar homem difícil

envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui


Olá, meu nome é Luciana e gostaria de compartilhar com vocês uma simpatia muito boa que funciona realmente e é muito simples e fácil de fazer.
Eu estava apaixonada por um rapaz (que hoje é meu marido, graças a essa simpatia) e minha mãe me ensinou essa poderosa magia.
Para fazer é o seguinte:
Você escreve, com fé, num papelzinho a oração de São Judas Tadeu:
“São Judas Tadeu, glorioso apóstolo, fiel servo e amigo de Jesus, Rogai por mim que estou desolada e precisando da sua ajuda neste momento. Imploro que me ajude a conquistar o coração de (escreva o nome do pretendente). Amém”.
Faça um saquinho vermelho e coloque dentro a oração, feche com linha da mesma cor e carregue pendurado com alfinete na sua calcinha. Para funcionar melhor, tem que usar sempre a mesma calcinha, isso é muito importante!
Quando você conseguir o seu amor, guarde numa gaveta, onde ninguém mexa.
Eu consegui conquistar o meu marido graças a essa maravilhosa simpatia.
Na nossa primeira transa eu tentei arrancar o feitiço da calcinha antes que ele visse, mas ele viu. Então eu disse que era meu amuleto contra mau olhado e ele acreditou porque sou baiana maloquera. hehe
Façam essa simpatia, pois funciona mesmo. É garantido! Mas tenha certeza de que é ele mesmo que você quer, pois é uma magia muito poderosa e os resultados são irreversíveis.
Obrigada,
Luciana .

Vendi minha alma (relato)

Vendi minha alma – Oração de São Cipriano

cipriano
Meu nome é Bernardo Batista e vou lhes contar como vendi minha alma ao Diabo.
Quando eu era pequeno, andava sempre muito doente. Peguei tuberculose e quase morri.
Como era contagioso minha mãe me fez viver uns tempos isolado, usar pratos, copos e talheres separados para não contaminar ninguém. Fiquei num quartinho que só servia para guardar tranqueiras velhas.
Como eu não tinha o que fazer nesse tempo, eu ficava fuçando nas velharias do quarto. Achei várias revistas Contigo, jóias, chapéus, brinquedos quebrados, nada de muito interessante.
Mas quando mexi embaixo da cama, achei uma trouxa de pano bem esquisita.
Desenrolei o pano e de lá saiu um punhal sujo de sangue seco. Junto com ele havia um livro velho de capa preta com o nome escrito em dourado meio apagado: São Cipriano – Capa Preta.
livro_cipriano
Na época eu não sabia do que se tratava e fiquei maravilhado com aquele livro. Tinha vários feitiços abomináveis. Magias de proteção e de esconjuro nas quais se sacrificava sapos, gatos pretos e até o cachorro de estimação da família. Era divertido ler essas coisas medonhas, para mim era como ler um bem escrito livro de terror, nada mais.
Foi então que, ao abrir o capítulo da Oração da Cabra Preta Milagrosa, caiu no chão um pedaço de papel muito velho e dobrado.
Nele estava escrito nomes de todas as pessoas da minha família, inclusive eu!
Tinha o nome dos meus avós e na frente de cada tinha um OK.
Tinha o nome dos meus tios e na frente de alguns tinha um OK. E então percebi que os OK’s eram para marcar os parentes que tinham morrido! Puta que pariu!
Eu li o livro desesperado e descobri que minha mãe havia vendido sua alma ao Diabo em troca de poder, beleza e felicidade. E para adiar seu pagamento ao Tinhoso, ela entregava um parente de sangue no seu lugar cada vez que ele vinha buscá-la! QUE PUTA!
Olhei a lista novamente e quase caí para trás ao ver que o meu nome era o próximo.
Talvez fosse por isso que eu estava tão doente. Ou não.
Não pensei duas vezes. Fiz a Oração da Cabra Preta Milagrosa e vendi minha alma ao Diabo.
Fiz como ensinava o livro. Acendi uma vela em homenagem a Satã, com o punhal cortei meu polegar e deixei pingar uma gota de sangue sobre a chama. Então coloquei o punhal sobre a mesa com a ponta apontando para a chama, neguei o Espírito Santo três vezes e fiz a oração.
Notei que no final da oração diz-se o seguinte:
“A luta vencerei, com os poderes da Cabra Preta milagrosa. Inimigo, com dois eu te vejo, com três eu te prendo, com Caifás, Satanás, Ferrabrás.”
Lembrei que minha mãe sempre falava, quando não gostava de alguma pessoa: Com dois eu te vejo, com três eu te espanto, em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo.
Que velha mais macumbeira! O que ela fazia era só uma forma disfarçada de rezar a oração da Cabra Preta… Se sua mãe ou avó fala isso, você pode ter certeza de que ela é macumbeira.
No dia seguinte amanheceu uma serpente morta na frente da porta da nossa casa.
Eu não vi porque não podia sair do quarto, mas ouvi meu pai comentando com minha mãe. Era esquisito, pois morávamos na cidade e não havia mato por perto. A serpente deve ter se arrastado por mais de um quilômetro pelas ruas para morrer bem em frente à nossa casa.
Uma serpente morta. Esse era o sinal de que o pacto com o Diabo estava feito. Ele viria buscar minha alma dentro de 7 anos se eu não entregasse alguém em meu lugar.
No dia seguinte eu já estava melhor da tuberculose. Nem tossia mais. Já podia correr e brincar por aí e nunca mais peguei nem um resfriado.
Comecei a fazer a minha lista. Em primeiro lugar escrevi o nome da minha mãe, aquela velha macumbeira que vendeu seu próprio filho ao Diabo para não morrer!
Além dela escrevi o nome de todos os meus inimigos da escola. Escrevi uma pá de nomes, tudo de gente que eu não gostava. Dobrei o papel e fechei ele na página da oração, enrolei o livro junto com o punhal e escondi a trouxa no sótão da casa.
Passados exatos 7 anos, minha mãe veio a falecer. Não senti nada, nem chorei. Ela vinha me tratando mal, me amaldiçoando e me rogando pragas desde que descobriu que eu tinha roubado seu livro de São Cipriano.
Quando me tornei adulto, era rico, tinha todas as mulheres que queria e era considerado um cidadão exemplar na minha cidade.
Todos os meus inimigos tiveram mortes trágicas e agonizantes. E eu ficava cada vez mais feliz e cada vez mais triunfante e invencível.
Muitos me falaram que chega uma hora em que a invencibilidade cansa.
É claro que todos que disseram isso são invejosos falidos e decadentes. Que se fodam todos. Isso é porque eles não sabem como é bom.
Sabe quando a gente coloca Cheat Codes nos jogos e fica tudo mais fácil? Não enjoa não…
O problema é que a lista de “substitutos” um dia acaba. E não se pode fazer outra.
A minha lista já estava perto do fim e eu não estava nem um pouco com vontade de entregar minha alma ao Diabo.
Então resolvi abrir mão da invencibilidade…
Queimei a trouxa com o livro de São Cipriano e o punhal e virei evangélico para ser salvo pelo senhor Jesus Cristo. Enganei o Diabo! hehe
O Coisa Ruim é quem não deve ter gostado muito disso não. Mas ele que se foda porque agora sou de Deus!
Hoje sou um conceituado pastor da Assembléia de Deus e ministro culto de segundas e quartas-feiras às 19:00h.
Glória a Deus,
Pastor Bernardo Batista.




envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui

O homem que vendeu a alma para o Diabo (relato)



Era um dia cinzento, em que nuvens roxas escuras pairavam baixas no céu, quando uma carta chegou às mãos de Edgie Whoolhy.
As feições do rosto de Edgie mudaram quando viu o remetente. Era uma correspondência enviada por seu velho amigo Sett Anderson.
Edgie passou a mão grande e forte nos longos cabelos loiros e lisos, tirando-os da testa larga e cumprida. Seus olhos verdes fitaram intensamente a carta após tirá-la do envelope pardo. Abrindo a folha amarelada, que estava dobrada em quatro partes, ele leu o manuscrito com a letra do amigo que ele não via há pelo menos uma primavera.
“Meu caro amigo Edgie, anseio em vê-lo o mais breve possível. Estou muito adoentado e preciso de você. Tenho que lhe contar algo que fiz. Venha rápido, eu estou morrendo. Morrendo. E não quero partir antes de vê-lo, meu grande e fiel amigo.”
Os músculos dos braços de Edgie se contraíram, e ele mordeu o lábio inferior. Sempre o fazia quando estava nervoso.
Sett teve problemas no passado quando seu gado morreu e ele teve suas propriedades tomadas pela hipoteca. Mas logo ele se ergueu de seu fracasso e começou a enriquecer da noite para o dia. Hoje morava num sítio de luxo em Vale do Luar. Os negócios prosperavam.
Edgie se trocou, vestiu calça jeans, uma camisa preta apertada e sobre esta colocou uma jaqueta de couro. Novamente passou a mão pelo cabelo, jogando-o para trás. Pegou seu cavalo negro e rumou para o sítio do amigo.
Raios azul-brilhantes serpenteavam no céu de nuvens cinzentas e opressoras. Trovões rugiam furiosos, como rosnados de uma legião de leões famintos.
A cavalgada negra pela estrada escura, deserta e sinuosa começava. O vento furioso agitava os galhos das árvores que ladeavam o caminho.
O corcel negro ia a toda velocidade, o som dos trovões se misturando ao vento e o batuque dos cascos com ferradura do animal soava como uma balada sinistra na noite agitada.
Vez ou outra, por uma brecha nas nuvens densas, uma lua cheia surgia, brilhando pálida como uma caveira.
Edgie não tinha outro pensamento em sua mente, enquanto seus cabelos se agitavam selvagemente ao sabor do vento, senão chegar à presença de Sett.
Duas horas exatas depois ele chegou ao sítio do amigo. Desceu do cavalo e bateu na porta de madeira polida e envernizada.
Silêncio.
Bateu de novo, mais forte desta vez.
Escutou e ouviu uma voz no interior da casa mandando-o entrar. Edgie obedeceu. A porta estava destrancada.
O interior da casa estava quente. Na lareira, um fogo vermelho-alaranjado crepitava silencioso.
Edgie andou até o quarto de Sett e entrou pela porta aberta. Deitado num leito solitário estava Sett. Seu rosto tinha uma expressão de dor, mas não estava pálido nem com olheiras, como imaginou Edgie.
-Sett - murmurou Edgie, ao vê-lo na penumbra.
-Eis um velho amigo que viajou muito por minha causa - a voz de Sett saía esganiçada e pausada – É bom revê-lo. Acomode-se - ele apontou uma cadeira posta ao lado da cama onde estava o homem magro, de cabelos lisos e curtos, de cor negra como a noite, coberto por um grosso edredom.
Sett ajeitou os óculos de grau de armação prateada e esforçou um riso.
Edgie foi até ele. Os dois se abraçaram. O loiro alto, de pele bem bronzeada, sentou-se na cadeira ao lado do leito. O outro, de pele muito clara, olhos azuis como estrelas e rosto de galã de cinema, sentou-se, apoiando as costas no travesseiro branco.
-O que está havendo com você, Sett?
O outro suspirou longamente antes de responder, como se procurasse encontrar as palavras certas, e por fim, articulando uma voz falhada, disse:
-Eu vendi a alma pro diabo!
-O quê? - as linhas da testa de Edgie se contraíram, assim como toda sua expressão, desfigurando seu rosto bonito e jovial, para uma face de reprovação e ódio – Não acredito.
-Eu sinto muito, mas eu fiz isso - ele evitava olhar Edgie nos olhos – Depois que eu perdi tudo, minhas fazendas, meu gado, minha esposa, foi tudo que me restou: implorar ao demônio uma ajuda. Mas o preço era alto.
-Não acredito que ser humano algum faria uma besteira igual a sua.- lamentou Edgie, irritado, levantando-se abruptamente da cadeira, que caiu no chão com um baque. Em seguida um trovão soou distante dali.
-Eu tive de fazer isso. Tente entender.
Edgie nada disse. Um silêncio pesado o silenciou. Ele tinha os olhos apertados no amigo.
-Sete anos - articulou Sett, numa voz surda – Hoje é o dia em que o demônio vem buscar o pagamento por tudo que consegui, a alma.
E aí, de um segundo para o outro, trovões, os mais barulhentos, começaram a surgir como explosões que abalavam o solo. Inúmeros timbres de vozes inumanas começaram a ecoar por todo o quarto. Eram lamentos tristes e sinistros. E uivos apavorantes. Demoníacos. E um pavoroso odor de enxofre.
-É o demônio - garantiu Sett. Havia uma certeza convicta em sua voz, percebeu Edgie.
No momento seguinte os dois homens viram, com horror, três sombras entrarem pela porta do aposento, iluminado apenas por um lampião que encimava um criado mudo.
As três sombras foram ganhando forma, uma aparência quase humana.
O da direita se manifestou primeiro. Tinha um corpo de homem, trajado com armaduras pontudas, que lhe cobriam as pernas, cintura, dorso, ombros e braços. As armaduras brilhavam intensamente, um roxo-florescente, como o lendário diamante do mundos dos mortos, chamado de Sápuris, que dizem não ser conhecido pelos mortais.
Esse demônio tinha um rosto pálido, de olhos negros, nariz fino e empinado, testa fina e cabelos longos e lisos, de um negro absoluto.
O da esquerda se materializou em seguida. Igualmente usava armadura, adornada de forma diferente, com símbolos místicos e mais pontas afiadas. Seu rosto era comprido e fino, com olhos que exalavam ódio. Grossas sobrancelhas sobre olhos brancos pequenos, cerrados em Edgie. O cabelo era curto e estava arrepiado para cima.
O do meio apareceu também. Tinha armadura e era maior que os outros dois. Os ombros eram enormes como duas cabeças de touro. Corpulento e repulsivo, este tinha um belo rosto, de maçãs bem delineadas, covinha no queixo, nariz fino e vistoso, testa larga e comprida, olhos azul-acinzentado e lábios ternos e avermelhados. Sua pele era bronzeada e lisa. A cabeleira era loira, lisa e longa.
-Nós somos três, dos quatro príncipes coroados do inferno - apresentou-se o que estava no meio, num timbre de voz majestoso – Eu sou o onipresente e onipotente Lúcifer!
-Eu sou Belial! - riu o da direita ao se apresentar.
-Leviatã - murmurou o que estava à esquerda de Lúcifer – Viemos buscar a alma oferecida em troca dos desejos de riquezas e luxúrias realizados por nós.
-E então, Edgie? - Belial apontou para ele – Vai se suicidar ou prefere que arranquemos sua alma a força? Como vai ser?
-O quê? - espantou-se Edgie, dando um passo para trás.
-Você não contou nada para ele, Sett? - indagou Leviatã, lançando um olhar para Sett.
Este nada disse. Apenas focou sua visão num ponto qualquer do aposento.
-Do que ele está falando, Sett? - indagou Edgie, olhando para o amigo.
-Eu vou lhe contar - começou Belial – Sett nos ofereceu a sua alma em troca de tudo que lhe damos. E nós viemos buscar.
-O quê? - gritou Edgie, aturdido. E se voltou para Sett – O que ele falou é verdade?
Sett tentou evitar o olhar de Edgie e em silêncio se levantou da cama. Mas Edgie o pegou pela camisa e repetiu a pergunta, berrando para o outro.
-Sim - gritou Sett, empurrando Edgie e gritando para os demônios - Façam logo o que vieram fazer.
“Então ele me traiu. Me enganou esse tempo todo.” Lamentou-se Edgie consigo mesmo. Lágrimas brotaram em seus olhos e escorreram por sua face.
-Oh! Não chore agora - zombou Leviatâ.
-É desperdício de sofrimento - emendou Belial – Guarde as lágrimas para o inferno.
-Chega desse falatório - ordenou Lúcifer – Leviatã e Belial, arranquem a alma de Edgie agora.
-Sim senhor - disseram ambos em uníssono.
Em seguida atacaram Edgie com seus punhos cerrados. Socando sua cara, chutando seu estômago, esmurrando seu peito. Parecia uma luta livre. Os dois demônios repulsivos se divertiam massacrando o pobre homem musculoso, que nem sequer conseguia se defender.
Os demônios o arrastaram para fora da casa, onde, sobre a grama molhada, continuaram a espancá-lo. Edgie sentia suas costelas quebrando, o sangue jorrando de sua boca. Ele caiu de cara na grama. Parecia apagado. O sangue escorria pelo nariz e boca.
-Já se divertiram muito - disse Lúcifer, que esteve parado, só observando, como Sett ao seu lado – Agora matem-no!
Os dois tiraram adagas da cintura e iam retalhar Edgie, quando este abriu os olhos e pôs-se de pé, o corpo oscilando, parecendo querer cair, mas ele lutava para manter-se ereto.
-O quê?! - surpreendeu-se Leviatã – Como ousa ficar de pé?
-Vamos retalhá-lo, miserável! - gritou Belial.
Ambos os demônios correram para atacar Edgie. O último ataque.
-Aaaahhhhhh!!! - rugiu Edgie, como um leão, cerrando os punhos e os erguendo para contra atacar os dois demônios.
Os punhos de Edgie agarraram os pescoços dos dois. Seus braços os ergueram no ar como se eles fossem bonecos. Usando uma força descomunal, Edgie fez suas cabeças se chocarem uma com a outra, num baque surdo. Os dois caíram. Tontos.
E viram raios azulados, como relâmpagos, saírem das mãos de Edgie e atingirem os dois demônios que acabavam de se erguer. Ambos gritaram e se contorceram. Os raios cessaram. Os olhos de Edgie exalavam ódio.
Lúcifer assistia a tudo boquiaberto. Assim como Sett.
-Desgraçado - xingou Belial – Não sei como um inútil mortal como você fez isso, mas vai se arrepender.
-Vamos destruir todo o seu corpo e torturá-lo para sempre no inferno.
Ambos se ergueram novamente e atacaram Edgie, gritando:
-Explosão do fogo do inferno!!!
Uma explosão devastadora vinha contra Edgie, que gritou e ergueu as mãos. Uma explosão infinitamente devastadora, como uma bomba nuclear se formou diante dele e disparou contra os dois demônios.
As explosões se chocaram em pleno ar. Um barulho ensurdecedor abalou todo o lugar. Segundos depois uma fumaça preta cobriu tudo. Em seguida a fumaça se dissipou e Lúcifer viu, com assombro nos olhos, seus dois súditos aos pedaços no chão esburacado. A grama sumira. Uma chuva fina de terra caía do céu.
-Como??? - balbuciou Lúcifer, incrédulo.
Edgie estava de pé. O corpo tremia, as roupas estavam rasgadas. A pela manchada de preto. Os dentes cerrados. Ele olhou para Lúcifer e viu os restos esfrangalhados de Sett ao seu lado. Ele não resistiu à explosão.
-Então você é ele?! - murmurou Lúcifer – O homem mais próximo de Deus. Um homem normal, mas cuja meditação o torna capaz de verdadeiros milagres. Você acabou de fazer o que eu chamo de impossível, destroçar dois demônios poderosos do real palácio do inferno.
-Mas você conseguiu se vingar não é? - Lúcifer riu, olhando para a cabeça dilacerada de Sett no chão – Isso te faz sentir melhor?
-Demente filho de mil pais, Sett era meu amigo - gritou Edgie. Lágrimas quentes desciam por sua face contorcida numa expressão de dor e ódio.
-Mas o que diabos você está dizendo? - indagou o príncipe do inferno – Ele te traiu, vendeu sua alma em troca de seus próprios objetivos. Sett tentou te ferrar, não vê isso?
-Errar é humano - murmurou Edgie, entre dentes, fitando cegamente a cabeça de Sett. Ainda havia um globo ocular em uma das órbitas, que o olhava melancólico - Ser humano algum vive sem errar. E foi você Lúcifer, seu demônio filho da puta, que se aproveitou da fraqueza de Sett para iludi-lo com suas promessas enganosas. Tenho pena de você Lúcifer. Pena de todos que o seguem.
-Cale-se! - bradou Lúcifer, sua voz saiu de sua boca como um trovão furioso – Como ousa falar assim com aquele que criou o inferno? Eu sou um Deus, seu verme miserável.
Lúcifer cerrou os punhos e se aproximou de Edgie. Os olhos do imperador do mundo inferior ganharam uma cor vermelha, como as chamas que queimam no inferno.
-Vim aqui tomar a sua vida e o farei - ameaçou Lúcifer.
-Não tenho medo - Edgie fechou os olhos e se concentrou. Sentiu seu corpo se inflamar em chamas cósmicas. Então abriu os olhos - Vou te enviar novamente ao inferno, anjo caído!
-Cale-se e sinta o poder máximo do criador do inferno - ergueu as mãos para o céu e abriu um portal negro em pleno ar – Que as ondas sonoras do inferno te suguem.
Edgie gritou. Contraiu todos os músculos de seu corpo. E mais uma vez fez um milagre acontecer. O poder de seu subconsciente fez gerar uma explosão devastadora, que provinha do fundo da alma de Edgie. E o Deus do inferno soube o que era aquilo.
-Impossível. Essa energia é equivalente ao poder destrutivo do big bang, mas como??? Como? Como? Como?
A gigantesca explosão liberada por Edgie repeliu as ondas infernais de Lúcifer e o fez rodopiar nos ares como um boneco de pano. Sua armadura se desfez em milhares de pedaços minúsculos. O poder destrutivo rasgou o céu e expulsou as nuvens de chuva.
Como um anjo sem asas Lúcifer caiu, enterrando sua bela face na terra esburacada. Do seu corpo saía sangue vermelho-brilhante, que escorria em filetes.
Ele se ergueu, cambaleando, com as pernas bambas e o corpo tremendo em espasmos. E viu a sombra na fumaça escura que descia do céu como uma cortina. Quando ele pode ver melhor, ali estava Edgie, de pé, olhando-o em silêncio. A respiração ofegante, o corpo molhado pelo suor que fluía de sua pele.
-Você não é humano - balbuciou Lúcifer, erguendo uma das mãos na direção do outro – Um homem não consegue tamanho poder. Nem sequer um exército de dois mil homens conseguiria tal feito. Quem diabos é você?
-Eu sou Edgie Whoolly. Apenas um homem nascido e criado aqui na terra como qualquer outro - falou numa voz gutural – Foi você e suas maldades quem despertou todo esse poder em mim - ele forçou um sorriso, revelando seus dentes brancos.
Lúcifer engasgou, vomitando uma bola de sangue vermelho-púrpura. Tentou balbuciar alguma coisa, mas sem sucesso, então desabou no chão, onde ficou imóvel.
Edgie saiu dali. Pegou o seu corcel e cavalgou de volta para casa. A noite foi muito agitada para ele, que lamentava a perda de um amigo.
“Não vou considerar sua traição como uma sacanagem, meu caro Sett, mas sim como uma valiosa lição. Afinal sua morte não foi em vão, ela despertou em mim um poder que jamais sonhei que tinha. Em seu nome eu o usarei apenas para o bem. Eu juro por sua alma, meu amigo.” Lágrimas rolavam pelo rosto de Edgie, enquanto um sorriso emocionado se formava em seu belo rosto.


-Lúcifer, acorde - sussurrou uma voz.
Lúcifer se ergueu, ficando de joelhos e olhou para o ser ao seu lado.
-Abel!? - surpreendeu-se.
-Sou eu mesmo - assentiu e riu. O Deus Abel, trajando vestimentas amarelas e brancas. Seu cabelo ruivo agitava-se ao sabor do vento com o aroma adocicado que soprava.
-O que o Deus Sol faz aqui? - Lúcifer falava com dificuldade, o rosto inchado e sangrando.
-Estive vendo vocês lutarem - disse – que patético. Lúcifer, Belial e Leviatã derrotados por um mortal.
-O poder daquele homem era...
-Ele é como qualquer outro - interrompeu-o Abel – Você se esqueceu, Lúcifer?
-O quê?
-Zeus concedeu a todos os mortais o poder de fazer milagres - começou Abel, olhando as estrelas que enchiam o céu da madrugada silenciosa – Você e os outros demônios não passam de anjos que se rebelaram contra Deus. Não podem morrer, mas não têm sequer um décimo de força de um humano. Vocês só conseguiriam derrotá-lo se ele se acovardasse. O que não foi o caso.
-Você quer dizer que nós, os demônios, somos todos fracassados? - Lúcifer ficou de pé encarando Abel.
-É isso mesmo. Você sabe disso melhor do que qualquer outro. Apenas nós, os Deuses do Senhor, somos mais fortes que os humanos.
Ele viu lágrimas nos olhos de Lúcifer. E também viu dor. - Você tem razão, mas eu iludirei e enganarei os homens e os desviarei do caminho de Zeus. Ao menos assim eu posso atingi-los.
-Você é mesmo um tolo, Lúcifer - gargalhou Abel – Zeus ama os seres humanos que o adoram, mas aqueles que lhe traem são odiados.
-Seu...- começou Lúcifer, mas Abel o conteve, apontando-lhe um dedo na face.
-Não ouse blasfemar contra mim, o Deus Sol, ou seu castigo será cruel, anjo lúcifer.
-Desculpe-me - redimiu-se.
-Eu vim aqui para dizer que seu tempo na terra acabou por hoje - falou Abel, com firmeza – Queira retornar àquele lugar pútrido que você chama de inferno.
-Sim – murmurou Lúcifer. Fez um buraco negro se abrir em pleno ar e pulou nele, desaparecendo em seguida.
Abel olhou para o céu, ergueu a mão direita e disse:
- É hora de você brilhar, sol, e queimar toda a impureza deixada pelos vermes que escaparam do inferno.


envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui

Moscas Negras (relato)

a lâmpada que fica em cima da pia e que estava sobre minha cabeça, oscilou por instantes como se a energia enfraquecesse e 5 segundos depois vi com meus próprios olhos ela estourando...

Moscas Negras

Este caso aconteceu no início deste ano (2007), no mês de fevereiro.
Lembro-me que foi um dia normal como qualquer outro até o final do expediente do trabalho as 18:00. Cheguei em casa por volta de 18:30, sempre chego morrendo de fome e naquele dia minha mãe havia deixado alguns pães de queijo para eu comer. Raramente como as coisas na cozinha, ou é em frente à televisão ou do computador, neste dia fui para a sala e estava vendo o noticiário. Sempre eu tomo um bom banho quando chego em casa do trabalho, mas as vezes a fome é extrema e paro na cozinha primeiro.

Estava sozinho em casa, não sabia onde minha mãe estava. Provavelmente em alguma vizinha, pois quando cheguei os pães de queijo ainda estavam mornos, no entanto já estava escuro e ela ainda não havia voltado. Preparei-me para entrar para o banho, já estava à noite, não sei ao certo, imagino que já se aproximava das 20:00hs.

Entrei para o banho, quanto lavava a cabeça de olhos fechados, percebi que as luzes do banheiro se apagaram. Mesmo estando de olhos fechados aquela pequena claridade que atravessa as pálpebras sumiu, tirei rapidamente a espuma da cabeça e abri os olhos, confirmei então que a lâmpada deixou de iluminar. Não sabia se havia acabado a energia ou se a lâmpada havia queimado, pois estava com o chuveiro desligado, fazia muito calor naquele dia. Terminei normalmente meu banho, poderia facilmente descobrir se era uma queda de energia apenas ligando o chuveiro, mas já terminava o banho e resolvi descobrir lá fora. Assim que me enxuguei, no escuro mesmo, abri a porta do banheiro e constatei que a lâmpada de fato havia queimado, pois avistei a claridade vindo da cozinha e o barulho da geladeira ligada.

Segui para o outro banheiro em meu quarto, onde guardo os utilitários para me barbear. Até então, tudo estava normal e minha cabeça ainda não pensava besteiras, acabei de me barbear e quando eu guardava as coisas de volta no armário, a lâmpada que fica em cima da pia e que estava sobre minha cabeça, oscilou por instantes como se a energia enfraquecesse e 5 segundos depois vi com meus próprios olhos ela estourando. Não foi como em relatos de filmes de terror onde elas esfarelam, foi um estouro não muito forte fazendo com que pedaços grandes caíssem sobre a pia. Apenas um destes veio na direção de meu olho esquerdo que se eu não estivesse com os óculos que havia acabado de colocar quando terminei de me barbear teria acertado em cheio em minha retina.

Naquele momento sabia que algo estranho estava acontecendo. Se fosse mais novo com certeza procuraria sair o mais rápido de casa, até que chegasse alguém, mas com várias experiências que já me aconteceram no decorrer da vida, parece que aprendi a lidar com estas coisas e fiquei em casa, aguardando pelo pior, que, talvez viria ou não.

Como eu esperava ele veio...

Segui para meu computador, procurei me distrair um pouco e fui assistir alguns vídeos engraçados no youtube, mas quanto mais eu procurava me distrair, mais eu lembrava do que havia acabado de acontecer. Sobrepunha meus pensamentos tentando fazer acreditar que fosse apenas uma oscilação de energia, mas não era...

Assistia ao vídeo de uma velha com uns gatos e sussurros surgiram em meu quarto, pausei o vídeo que assistia para eliminar as chances de que o som não saia do computador... E não saía... No final de minha bancada, no canto do quarto 2 seres cochichavam entre si, não era uma sombra sólida e negra, eram como se fossem moscas voando umas sobre as outras, mas os formatos de seus corpos eram como o nosso.
Ficaram ali conversando, por volta de 2 longos minutos, sem reação fiquei os observando até que as moscas negras começaram a se dispersarem e os formatos dos corpos ficaram desfigurados... em alguns segundos, não havia mais nada, minha porta e janela fechadas impediriam que as moscas saíssem, no entanto não havia mais nenhuma delas voando por ali...





* Este conto é baseado em um acontecimento verídico, ele preserva os nomes reais dos personagens e fotos tiradas nos dias atuais do local onde tudo se passou.

Vulto Demoníaco (relato)



De momento fiquei sem reação, não sabia se corria de volta para fora da casa ou ficava ali parado...

Vulto Demoníaco

Este fato aconteceu no ano de 1998, não me recordo o mês e o dia, creio que tenha sido entre março e abril, logo depois do carnaval.
Tinha acabado de escurecer e eu estava na frente de casa sentado na guia (ou meio fio como muitos conhecem) juntamente com dois amigos, Rodrigo e Leonardo. Não tinha ninguém em casa aquele dia, lembro-me que estava tudo escuro, pois minha mãe ainda não havia chegado. Minha casa a noite já é bastante escura por natureza, existem duas árvores na frente que tapa quase toda claridade que vem do poste. Nós estávamos sentados bem na direção da porta da entrada de casa, e sempre tinha um radinho que nos acompanhava. Eram aqueles rádios-gravadores, de fita cassete ainda e estávamos ouvindo uma banda muito boa que gosto até hoje que se chama Deicide.

Enquanto minha mãe não chegava, minha fome aumentava cada vez mais, e minha casa estava fechada. Pensei então em dar a volta na casa e entrar pelos fundos, passei pelos cães, atravessei o quintal, mas a porta do fundo também estava trancada. Desde aquele momento percebi que existia algo estranho, pois senti um calafrio que me arrepiou todos os pelos dos braços, voltei muito mais rápido do que entrei, para onde estavam os amigos.

Aguardei mais uns trinta minutos e minha mãe não chegava, creio que já eram umas nove da noite. Resolvi então seguir até a casa de meu irmão que não ficava muito longe de onde estávamos. Ele tem uma cópia da chave de casa, fui então buscar.
Quando cheguei, tinha algumas coisas pra comer e não resisti, enchi a barriga ali mesmo. Os amigos ficaram lá na frente de casa, pois eu disse que já voltava. Fiquei na casa de meu irmão uns vinte minutos, iria pegar a chave mesmo assim para poder pegar outras fitas em meu quarto. Estávamos somente com a do Deicide pra escutar.
Retornando pra casa eles estavam no mesmo lugar, desta vez bem na frente de meu portão. Só trocaram o lado da rua...

Assim que abri a porta da frente, novamente o mesmo calafrio. Não sei se foi pelo fato de eu sentir algo estranho novamente ou por eu ter lembrado daquela situação minutos antes no fundo de casa. Acredito que a primeira opção seja a mais óbvia para aquela situação.
Passei pela sala em direção a cozinha e fui acendendo todas as luzes, na cozinha acendi as luzes também. Estava de costas para o corredor onde estão os quartos, fui me virando vagarosamente, meu corredor escuro... Bem lá na frente, avistei um vulto parecido com um humano de grande porte, estava virado como se fosse entrar em meu quarto ou seja, eu estava vendo-o pela lateral. Para se ter uma idéia ele era um pouco mais baixo que o batente da porta, não conseguia ver seus traços nem seu rosto porque de fato era todo negro como se fosse um papel recortado e posto ali.

De momento fiquei sem reação, não sabia se corria de volta para fora da casa ou ficava ali parado, se voltasse iria me arrepender depois de curiosidade. Fiquei então ali parado, sem me mexer, após aproximadamente 20 segundos houve uma manifestação da criatura. O vulto se moveu lentamente para dentro de meu quarto passando rente ao batente superior, fiquei mais alguns segundo ali parado sem saber o que fazer. Mesmo tomado pelo medo segui em direção ao quarto, fui acendendo todas as luzes e parei novamente por alguns segundos a 1 metro da porta. Tomei coragem e segui, meu quarto estava todo escuro e sem adentrar, estiquei a mão procurando o interruptor permanecendo com o corpo do lado de fora.
Acendi a luz...
As almofadas ali no canto intactas, a cama arrumada como de costume minha mãe sempre deixa, a janela fechada e minha escrivaninha bagunçada, do mesmo jeito que a deixei da ultima vez...
O calafrio me subiu pela ultima vez aquela noite, vendo meu quarto gelado e vazio...

* Este conto é baseado em um acontecimento verídico, ele preserva os nomes reais dos personagens e fotos tiradas nos dias atuais do local onde tudo se passou.



envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui

o bebê diabo


 No dia 10 maio de 1975, a redação do Notícias Populares estava calma demais. Faltavam notícias para encher as páginas com os tradicionais absurdos que o saudoso diário publicava pra deixar o povo um pouco mais feliz. Fuçaram nas matérias rejeitadas da semana e acharam uma de Marco Antonio Montadon, sobre uma criança que havia nascido com estranhas deformidades no ABC paulista.
No local, o jornalista apurou que a criança nascera com um prolongamento no cóccix e duas saliências na testa, problemas simples que foram resolvidos com uma pequena cirurgia feita na própria maternidade. A matéria, de tão fraca nem foi publicada. Na falta de assunto daquele dia, o repórter requentou a pauta e resolveu fazer uma crônica de horror baseada na história. Como ninguém no hospital quis dar entrevistas, ele não pensou duas vezes antes de inventar a história que ficou conhecida como a mais bizarra do jornalismo brasileiro, que marcou uma época e alavancou a venda do jornal por quase 30 dias seguidos.
Reproduzo abaixo a sensacional seqüência de manchetes até o desfecho da maior e mais divertida cascata do Notícias Populares. Em seguida, emendo a matéria original que deu origem a saga. (Destaque para a manchete de 24.05: O BEBE DIABO PAROU TAXI NA AVENIDA em que, segundo o jornal, o capetinha entrou no carro e ao ser questionado pelo taxista sobre qual seria o destino da corrida teria emendado: “Toca para o inferno”)
11/5 – NASCEU O DIABO EM SÃO PAULO
12/5 – BEBÊ-DIABO DESAPARECE
13/5 – FEITICEIRO IRÁ AO ABC EXPULSAR O BEBÊ-DIABO
14/5 – BEBÊ-DIABO DO ABC PESA 5 QUILOS
15/5 – BEBÊ-DIABO INFERNIZA O PADRE DO ABC
16/5 – NÓS VIMOS O BEBÊ-DIABO
17/5 – POVO VAI VER O BEBÊ-DIABO
18/5 – PROCISSÃO EXPULSARÁ BEBÊ-DIABO
19/5 – VIU BEBÊ-DIABO E FICOU LOUCA
20/5 – SANTO PREVIU O BEBÊ-DIABO
21/5 – BEBÊ-DIABO NOS TELHADOS DAS CASAS DO ABC
22/5 – MÉDICO AFIRMA: O BEBÊ-DIABO NASCEU NO ABC
23/5 – DIABO EXPLODE MUNDO EM 1981
24/5 – BEBÊ-DIABO PAROU TÁXI NA AVENIDA
25/5 – FAZENDEIRO É O PAI DO BEBÊ-DIABO
26/5 – BEBÊ-DIABO VIAJA PARA VER O PAI
27/5 – BEBÊ-DIABO APARECE NO LUGAR DO ECLIPSE
28/5 – MAIS 7 VIRAM O BEBÊ-DIABO
29/5 – BISPO MORRE DE MEDO DO BEBÊ-DIABO
30/5 – BEBÊ-DIABO ARRASA COM RITUAL DE UMBANDISTA
31/5 – FANÁTICOS AMEAÇAM BEBÊ-DIABO DO ABC
01/6 – SEQÜESTRADO BEBÊ-DIABO
02/6 – BEBÊ-DIABO À MORTE
03/6 – BEBÊ-DIABO FOGE PARA O NORDESTE
04/6 – PADRE DE MARÍLIA: ‘EU ACREDITO NO BEBÊ-DIABO DO ABC’
05/6 – ZÉ DO CAIXÃO VAI CAÇAR BEBÊ-DIABO NO NORDESTE
08/6 – POVO VÊ DE NOVO BEBÊ-DIABO DO ABC
NASCEU O DIABO EM SAO PAULO
Durante um parto incrivelmente fantástico e cheio de mistérios, correria e pânico por parte de enfermeiros e médicos, uma senhora deu a luz num hospital de São Bernardo do Campo, a uma estranha criatura, com aparência sobrenaturais, que tem todas as características do Diabo, em carne e osso. O bebêzinho, que já nasceu falando e ameaçou sua mãe de morte, tem o corpo totalmente cheio de pelos, dois chifres pontiagudos na cabeça e um rabo de aproximadamente cinco centimetros, além do olhar feroz, que causa medo e arrepios. Parece que tudo começou na Semana Santa, quando o marido da mulher, que é muito religioso, convidou-a para ir à igreja, ver a procissão. A mulher grávida, bateu com as mãos na barriga e respondeu indignada:
– Não vou, enquanto este diabo aqui não nascer.
E foi o que realmente aconteceu. A mulher acabou tendo como filho um monstrinho horripilante, peludo, que ao falar, mais parece que está mugindo.
Inicialmente, há quinze dias, quando os boatos começaram a surgir, poucos acreditavam na história absurda do nascimento do capeta em São Paulo, mas pouco a pouco, os comentários aumentaram e agora, principalmente em São Bernardo do Campo e cidades do ABC, ninguém mais duvida da existência do monstrinho diabólico.
Entretanto, segundo as autoridades médicas, não foi registrado nas últimas semanas nenhum nascimento de alguma criança com problemas congênitos ou anomalias pavorosas. Mesmo assim, até telefonemas de Brasília e outras cidades, estão chegando em São Bernardo, de pessoas que perguntam como o Diabo é, o que que ele come e como é sua aparência,
tudo logicamente, desmentido pelos funcionários.
O Hospital São Bernardo, onde se acredita que o Diabo esteja escondido, encontra-se em fase de construção, sendo que a maioria de seus pacientes, é do INPS.
O médico Fausto Figueira Mello Júnior, que ao lado de 12 colegas o dirige, afirmou que dos 15 partos diários, todos são praticamente normais: – Aqui não nasceu nenhum diabinho.
Por outro lado, o diretor administrativo, Roberto Saad, é de opinião que tudo isto não passa de uma piada de mal gosto contra o hospital. Parece porém que, o crescimento do boato e a credulidade de algumas pessoas chegaram a preocupar o secretário da Promoção Social, Enzo Ferrari. Ele, após percorrer todos os hospitais daquela cidade, distribuiu uma nota oficial, desmentindo o boato, dizendo que em São Bernardo do Campo não existe nenhum bebê-monstro.
Entretanto, a própria preocupação do secretário aumentou em algumas pessoas a crença de que o Diabo existe e está disposto a fazer cumprir as profecias satânicas, aumentando o mal na Terra.
– E os primeiros a serem atingidos serão os moradores de São Bernardo do Campo, disse uma senhora, fazendo o Padre-Nosso, defronte o Hospital São Bernardo, onde se encontrava com os olhos demonstrando
muito medo.
Assim, aquela que de início era uma estranha e absurda história, agora tomou corpo e chega a preocupar as autoridades daquele município.
Os telefonemas continuam, nas esquinas e nos bares o assunto é só sobre o capetinha e muitos insistem que os responsáveis pelo hospital onde ele nasceu, deveriam colocá-lo em exposição, para que todos vissem o bebê que fala, tem chifres e um bonito rabo de cinco centímetros.



envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui

milagre"



É muito difícil estabelecer uma definição para a palavra "milagre". Os Milagres são considerados expressões do sobrenatural. Nós também podemos dizer que um milagre é um fenômeno que ocorre contrário as leis naturais e obedecem a uma força superior: a de Deus. A vida do Padre Pio é cheia de milagres. Mas nós temos que prestar atenção à natureza do milagre que é sempre divino. Desta maneira o Padre Pio sempre convidou as pessoas a agradecer Deus, verdadeiro autor dos milagres.

O primeiro milagre atribuído ao do Padre Pio, aconteceu em 1908. Naquela época ele morava no convento de Montefusco. Um dia ele decidiu ir a floresta para colher castanhas em uma bolsa. Ele enviou esta bolsa para sua tia Daria em Pietrelcina. Ela sempre foi muito afetuosa para com ele. A sua tia recebeu a bolsa e comeu as castanhas e depois guardou-a como lembrança. Poucos dias depois sua tia Daria estava procurando algo em uma gaveta onde o seu marido normalmente guardava pólvora. Era noite e ela estava usando uma vela quando de repente a gaveta pegou fogo. O fogo atingiu Tia Daria e num instante, ela pegou a bolsa que tinha as castanhas de Padre Pio e a pôs na sua face. Imediatamente sua dor desapareceu e não ficou nenhuma ferida ou queimadura na sua face.

Durante a Segunda Guerra Mundial, na Itália, o pão era racionado. No convento do Padre Pio havia sempre muitos convidados e pessoas pobres que iam até lá pedir comida. Um dia, os monges foram para o refeitório e perceberam que na cesta tinha aproximadamente um quilo de pão. Todos os irmãos rezaram e se sentaram antes de começar comer e o Padre Pio foi para a Igreja. Depois que um tempo que ele voltou com muitos pães nas mãos. O Superior perguntou para Padre Pio: "Onde você conseguiu os pães? " e Padre Pio respondeu: "Um peregrino à porta me deu ". Ninguém falou, mas todo o mundo concluiu que só Padre Pio poderia encontrar esse tal peregrino.

Uma vez no convento do Padre Pio, um frade deixou de colocar hóstias suficientes para a celebração, pois havia poucas disponíveis. Mas depois das confissões Padre Pio pegou as hóstias começou a entregar a Sagrada Comunhão às pessoas e ao término da celebração sobraram muitas hóstias, mais do que eles tinham antes.

Uma filha espiritual do Padre Pio estava lendo uma carta dele a beira de uma estrada. O vento fez a carta voar e rolar por uma ribanceira. A carta já estava longe quando deixou de voar e caiu e ficou presa numa pedra. Desse modo foi possível recuperar a carta. No dia seguinte ela encontrou com o Padre Pio que lhe disse: "Você tem que prestar mais atenção no vento da próxima vez. Se eu não tivesse posto meus pés na carta ela teria se perdido”.

Sra. Cleonice Morcaldi, filha espiritual do Padre Pio disse: "Durante a Segunda Guerra Mundial meu sobrinho estava prisioneiro. Nós não tínhamos recebido notícias durante um ano e todo mundo acreditou que ele havia morrido. Os Pais dele pensavam mesma coisa. Um dia a mãe dele foi ao Padre Pio e se ajoelhou em frente ao frade que estava no confessionário e disse: "Por favor, diga-me se meu filho está vivo. Eu não vou embora se você não me falar. Padre Pio simpatizou-se com ela e tendo piedade de suas lágrimas disse: FOTO15.jpg (4797 byte)"Levante-se e fique tranqüila". Alguns dias depois, eu não pude resistir diante da dor dos Pais, e assim decidi pedir um milagre para Padre Pio. Eu disse: "Padre, eu vou escrever uma carta a meu sobrinho Giovannino. Eu só escreverei o nome dele no envelope por que nos não sabemos onde ele está. Você e seu Anjo da Guarda levarão a carta até ele" Padre Pio não respondeu. Eu escrevi a carta e pus em minha mesa, de noite, para entrega-la na manhã seguinte ao Padre Pio. Ao amanhecer para a minha grande surpresa e medo a carta não estava mais lá. Eu fui correndo até o Padre Pio para lhe agradecer e ele me disse: "Dê graças a Nossa Senhora". Quase quinze dias depois nosso sobrinho respondeu a carta. Então toda nossa família ficou contente, dando graças a Deus e ao Padre Pio”.

Durante a Segunda Guerra Mundial o filho de Sra. Luisa que era Oficial da Marinha britânica Real era motivo de angustia para a sua mãe, pois ela orava diariamente para o conversão e salvação do seu filho. Um dia um viajante inglês chegou a San Giovanni Rotondo, trazendo alguns jornais ingleses. Luisa quis ler os jornais. Ela leu notícias do afundamento do navio que o filho dela estava. Ela foi chorando ver o Padre Pio que a consolou imediatamente: “Quem lhe falou que seu filho morreu? Na realidade Padre Pio pôde dizer exatamente o nome e o endereço do hotel onde o jovem oficial estava, depois de ter escapado do naufrágio no Atlântico. Ele estava no hotel a espera do novo cargo. Imediatamente Luisa lhe enviou uma carta e depois de 15 dias obteve uma resposta do seu filho”.

Havia uma tal mulher nobre e boa em San Giovanni Rotondo que o Padre Pio disse que era impossível, de achar qualquer falha em sua alma para perdoar. Em outras condições; ela viveu para ir para o céu. Ao término da Quaresma, Paulina, estava tremendamente doente. Os doutores não lhe deram esperanças. O marido dela e as cinco crianças deles foram para o convento rezar e pedir ajuda para Padre Pio. Duas das cinco crianças correram em direção ao Padre Pio chorando. O Padre Pio ficou perturbado; e então tentou consolá-los prometendo que ia rezar para eles, nada mais! Alguns dias depois mais ou menos às sete horas da manhã, as coisas mudaram. Na realidade ele pediu para Paulina, de forma que isto curou e ele disse-lhes: “Ela se recuperará no Dia da Páscoa. Mas durante a sexta-feira Santa, Paulina perdeu a consciência, e ela logo depois no dia de sábado havia entrado em estado de coma; finalmente, depois de algumas horas Paulina morreu. Alguns dos seus parentes levaram o vestido de noiva dela para vesti-la, isto de acordo com uma velha tradição. Outros parentes correram para o convento para pedir um milagre ao Padre Pio. Ele lhes respondeu:” Ela ressuscitará e foi para o altar para celebrar a Santa Missa. Quando o Padre Pio começou a cantar o Glória e o som dos sinos que anunciam a ressurreição de Cristo, ele deu um forte grito e os olhos dele estavam cheio de lágrimas. No mesmo momento ressuscitou Paulina e sem qualquer ajuda ela desceu da cama, se ajoelhou e orou três vezes o Credo. Então eles se levantaram e sorriram. “Ela ressuscitou”. Na realidade o Padre Pio não tinha dito, “ela ressuscitará” e sim “ela recuperará”. Quando eles lhe perguntaram que se passou durante o tempo que ela estava morta; ela respondeu: “Eu subi, eu subi, eu subi; até que eu entrei em uma grande luz, e de repente eu voltei”.

Testemunho de uma mãe: “Minha primeira filha, nasceu em 1953 quando tinha um ano e meio; o Padre Pio salvou a sua vida em forma súbita e milagrosa. Na manhã de 06 de Janeiro de 1955 meu marido e eu estávamos na igreja assistindo à Santa Missa e nossa filha estava em casa com o avô dela. De repente um acidente aconteceu, e nossa filha se queimou com uma panela de água quente. A queimadura era tão grande quanto séria; o atingiu desde estômago até a parte de atrás. O doutor recomendou para a hospitalizá-la imediatamente; porque ela poderia morrer devido ao estado de gravidade suprema... Por isto ele não nos deu nenhum medicamento. Desesperada ao ver sofrendo a minha filha, nisso que o doutor se foi; eu invoquei fortemente o Padre Pio que entrevisse urgentemente. Enquanto eu estava pronta para levá-la para o hospital, já era quase meio-dia; quando de repente a menina que estava só no quarto me chamou mãe, mãe olhe eu já não tenho nenhuma ferida”. E quem desapareceu suas feridas? eu perguntei amedrontada e com grande curiosidade. Ela respondeu. “Mãe o Padre Pio veio, e ele curou minhas feridas pondo suas mãos sagradas em minha queimadura”. Realmente para surpresa de todos, não havia nenhum sinal ou marca que havia alguma queimadura; o corpo de minha filha era totalmente saudável, e pensar que alguns minutos antes que o médico a condenou.

Os camponeses de San Giovanni Rotondo se lembram com grande felicidade o evento seguinte: Estavam na primavera, as árvores de amêndoas floridas, enquanto estavam prometendo uma boa colheita. Mas infelizmente milhões de lagartas vorazes chegaram e elas devoraram as folhas e as flores, não deixaram se quer as cascas. Depois de dois dias tentando parar aquela invasão os camponeses estavam muito preocupados, porque para muitos deles as amêndoas eram o único recurso econômico - eles decidiram contar ao Padre Pio o problema. O Padre Pio teve uma bela visão das árvores pela janela dele no convento e ele decidiu as abençoar. Ele vestiu os vestuários sagrados e ele começou a rezar. Quando terminou, ele pegou a água benta e fez o sinal da Cruz, em direção para as árvores. Imediatamente as lagartas desapareceram, e no dia seguinte que as lagartas tinham desaparecido, as árvores de amêndoas, pareciam ter os brotos novamente. Era um desastre; a colheita estava perdida. O que aconteceu então é realmente incrível! Nós tivemos a colheita mais abundante. Como é possível que nós tivemos uma colheita mais abundante a que aquelas que nós normalmente tivemos? Nunca, em tempos normais nós tínhamos tido uma colheita deste modo. Os cientistas nunca puderam dar uma explicação a este fenômeno.

No jardim do convento eles tiveram vários tipos de árvores; os ciprestes, algumas de fruta e algumas de espinho. Principalmente pelas tardes de verão, o Padre Pio desfrutava do clima, na sombra, junto com os amigos dele, e alguns convidados, uma vez, quando o Padre Pio estava falando com algumas pessoas, repentinamente muitos pássaros começaram a cantar e fazer barulho à sombra das árvores. Os pássaros tinham composto uma sinfonia ali; Grackles, pardais, e outras espécies. O Padre Pio ficou aborrecido pela sinfonia, e olhando para os pássaros lhes falaram: “silencio” Naquele mesmo momento, os pássaros, os grilos e as cigarras estavam quietos. Pessoas que estavam no jardim, estava profundamente surpreso! Na realidade o Padre Pio tinha falado aos pássaros, igual a São Francisco.

Outro testemunho, de um senhor que contou: “Minha mãe vinha de Foggia e era um das primeiras filhas espirituais do Padre Pio. Ela tinha pedido para o Padre Pio a conversão e a proteção” de meu pai; quando em abril de 1945 eles iriam executa-lo. Ele estava na frente do pelotão de tiroteio quando de repente pulou diante dele Padre Pio para protegê-lo. O comandante do pelotão deu a ordem de atirar; mas nenhum tiro foi disparado dos rifles dos sete membros do pelotão e o comandante ficaram surpreendidos, eles verificaram seus rifles e não acharam nenhum problema. Assim o pelotão; apontou para meu pai novamente, e o comandante pediu aos soldados dele para atirar novamente, E novamente acontece à mesma coisa. Os rifles não trabalharam. Esta realidade misteriosa e inexplicável interrompeu a execução. Meu pai voltou para casa e ele se converteu, ele recebeu os sacramentos sagrados em San Giovanni Rotondo quando fui agradecer Padre Pio. Deste modo minha mãe obteve os milagres que ela sempre tinha pedido ao Padre Pio: a conversão do marido dela!

Testemunho do Padre Honorato: “Eu entrei para San Giovanni Rotondo com um amigo em motocicleta. Eu cheguei para o convento alguns minutos antes do meio-dia. Dando meus cumprimentos ao superior, eu fui para a caixa de confissão cumprimentar o Padre Pio e beijar a mão dele. Deveria ser se lembrado de que meu modelo de motocicleta foi chamado” vespa ". Quando me viu o Padre Pio me falou: “cansado pela viagem de vespa?” Eu estava bastante surpreendido: na realidade o Padre Pio não me tinha visto quando eu cheguei para o convento, mas ele soube que tipo de transporte eu usei. A manhã seguinte que nós deixamos San Giovanni Rotondo com minha “vespa” e nós partimos para San Miguel, a próxima cidade depois de San Giovanni Rotondo. O tanque de gasolina estava vazio, e nós nos decidimos de enchê-lo em Monte San Ângelo. Mas assim que nós alcançamos aquela cidade pequena fomos deparados com um problema: todas as bombas de gasolina estavam fechadas. Desta forma, nós decidimos voltar a San Giovanni Rotondo. Realmente esperamos achar alguém na estrada que poderia nos dar um pouco de gasolina. No primeiro lugar eu estava angustiado por meus irmãos do convento, porque estava passando da hora do almoço; coisa que não é gentil... Mas sem a gasolina, para os poucos quilômetros, a moto começou a fazer um barulho e parou, verificamos o tanque, e estava vazio. Com tristeza eu contei a meu amigo que nós só temos dez minutos para chegar para ao convento e almoçar com nossos irmãos.Não achamos nenhuma solução, e por isto, meu amigo, deu um pontapé no pedal. Incrível! A motocicleta arrancou novamente! Nós empreendemos a viagem imediatamente a San Giovanni Rotondo sem desejar saber a razão porque a motocicleta tinha arrancado sem gasolina. Quando estávamos chegando ao convento a motocicleta parou novamente. Destampamos o tanque e vimos que ele estava seco. Surpreendidos olhamos para nossos relógios: era dez minutos antes da hora do almoço. Significou que nós, nós tínhamos coberto quinze quilômetros em uma média de 180 quilômetros por hora. Sem a gasolina!”.Eu entrei para o convento enquanto os irmãos estavam abaixando para o almoço, e quando Fui procurar o Padre Pio, e ficamos olhando um para o outro e rindo.

Era o mês de maio em 1925. Uma moça, chamada Maria, teve um pequeno bebê, e sentia-o doente desde o seu nascimento, o que a deixava muito preocupada. Após uma consulta ao médico, foi-lhe dito que a criança tinha uma doença muito complexa. Não havia nenhuma esperança para o bebê: ele não poderia se recuperar. Então, Maria decidiu ir de trem para a cidade de São Giovanni Rotondo. Mesmo vivendo em um pequeno povoado ao sul de Puglia (uma região muito pobre no sul da Itália), tinha ouvido alguns rumores em relação ao padre Pio, um frade que apresentava os estigmas, como Jesus Cristo, e que fazia milares, recuperava os doentes e dava esperança para as pessoas deseperadas; este relatos despertaram em Maria uma grande fé e esperança, e imediatamente iniciou a viagem, mas durante o trajeto o bebê morreu. Ela velou aquele pequeno corpo a noite inteira e, ao amanhecer, colocou-o numa bolsa e fechou-a. Após Maria ter perdido o filho, chegou ao convento de São Giovanni Rotondo. Ela não tinha mais nenhuma esperança! Mas não tinha perdido a fé. À tarde, após muitos esforços, estava em frente ao padre Pio. Conseguiu isto ficando na fila das pessoas que esperavam para confessar com o religioso. Continuava carregando a mala que continha o cadáver do seu filho, que havia morrido há quase 24 horas. Maria ajoelhou-se diante do sacerdote, chorou deseperadamente suplicando ajuda ao padre Pio. Ele a olhou piedosamente. A mãe abriu a mala e mostrou o cadáver de seu filho ao padre Pio. O pobre padre se condoeu profundamente com a tristeza daquela mãe. Ele tomou o pequeno corpo e pôs as mãos estigmatizadas na cabeça do bebê, e então orou voltado ao céu. Depois de um tempo, a pobre criatura estava novamente viva. Um gesto, um movimento dos pés, os braços... parecia que dormia e simplemente tinha acordado depois de um longo sono. Falando com a mãe ele disse: "Mãe, por que você está chorando? Seu filho está dormindo!" A mãe e os gritos da multidão encheram a igreja. Todo o mundo falava em milagre!

Um estanceiro saia muito tarde do convento, e quando se preparava para ir embora, notou que estava chovendo. Dirigiu-se ao padre Pio: “Eu não tenho guarda-chuva. Posso ficar aqui até de manhã? Se não puder ficar, vou me ensopar”. "Eu sinto muito meu querido, não é possível. Mas não se preocupe! Eu o acompanharei!", respondeu-lhe padre Pio. O engenheiro pensou que teria sido muito melhor não fazer aquela penitência, mas com a ajuda do padre Pio, a caminhada poderia ser menos rigorosa. Então, ele colocou o seu chapéu e saiu para percorrer à pé as duas milhas entre o convento e o povoado. Mas, assim que saiu, percebeu com surpresa que não chovia mais. Havia somento uma garoa quando ele chegou na sua casa. “Meu Deus”, exclamou a sua mulher, que abriu a porta. “Você deve estar molhado até os ossos!”. “Nada”, respondeu o estanceiro, “não está chovendo”. Os camponeses que lá estavam olharam uns para os outros e confusos disseram: “O que! Não está chovendo mais? Está chovendo muito! Escute!”. Eles abriram novamente a porta e estava chovendo torrencialmente. Comentaram que chovia há mais de uma hora ininterruptamente. “Como você conseguiu vir para cá sem estar molhado?” perguntaram. O estanceiro respondeu: “O padre Pio me falou que me acompanharia”. Então, os camponeses perceberam que tinha sido mais um milagre do padre Pio, e comentaram: “Agora está tudo exclarecido”. Dirigiram-se calmamente à cozinha onde iriam jantar, quando a mulher disse: “Sem dúvida, a companhia do padre Pio é muito melhor do que a de um guarda-chuva!”.

Um homem de Ascoli Piceno (uma cidade italiana) contou: “Lá pelo final dos anos de 1950, eu fui para São Giovanni Rotondo com minha esposa para confessarmos e recebermos a absolvição depois de cumprirmos a penitência imposta pelo padre Pio. Anoitecia, e eu ainda estava no convento, quando encontrei o padre Pio, que disse: ‘Você ainda está aqui?’. ‘Meu carango não deu partida’, eu respondi. ‘O que é exatamente um carango’, perguntou-me o padre Pio. ‘É o meu carro’, respondi. ‘Vamos dar uma olhadinha’, disse-me. Quando chegamos ao automóvel, ele deu partida imediatamente sem qualquer problema. Eu e minha mulher viajamos toda a noite e, na manhã seguinte, eu levei meu carro ao mecânico para dar uma verificada. O mecânico, depois de fazer os testes, disse que o sistema elétrico do carro estava completamente fora de uso, e não acreditou quando eu lhe falei que tinha viajado com o carro a noite inteira. Na realidade, era impossível cobrir 400 quilometros, entre San Giovanni Rotondo e Ascoli Piceno, com o carro naquele estado. Eu logo percebi: padre Pio tinha me ajudado e, assim, eu lhe agradeci mentalmente”.

Não era necessário repetir a mesma pergunta a padre Pio, mesmo que mentalmente. O marido de uma boa mulher estava muito doente. A senhora corre para o convento, mas ela se perguntava: "Como chegar ao padre Pio?” Ela teria que esperar pelo menos três dias se quisesse conhecê-lo para uma confissão. Assim, durante a missa ela caminhava de um lado para o outro, contando para Nossa Senhora das Graças qual era o seu problema e pedindo, ao mesmo tempo, a ajuda do padre Pio. Assim, após o término da missa, cruzou novamente a igreja para falar com o padre Pio. Alcançou-o, finalmente, num corredor onde ele normalmente passava. Ao vê-la, padre Pio disse: "Mulher com pouca fé, quando você vai parar de me pedir ajuda? Você pensa que eu sou surdo? Você já me falou isto cinco vezes quando você estava na minha frente, atrás de mim, do meu lado direitoo e do meu lado esquerdo. Eu entendi! Eu entendi!... Vá para casa! Tudo está bem”. De fato, ela encontrou o seu marido curado.


envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Marcadores

Follow by Email

Recent Posts

Postagens populares

Minha lista de blogs