pesquisa magos da luz

Custom Search
------------------- -------------------------------------
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

16 de mai de 2012

vejo umas coisas meio estranhas (relato)


Alguns casos pessoais
Desde pequena vejo umas coisas meio estranhas aqui em casa (o surpreendente é q é SÓ aqui em casa), então resolvi relatar alguns dos q eu me lembro.

Na infância: Haviam 2 lugares em q eu via mta coisa: a sala de tv e meu quarto.

Sala - 1º caso: Antigamente havia um colchão (exclusivamente meu ) de frente pra porta. Essa porta era o acesso ao corredor, aos demais quartos e ao andar debaixo. Quando uma pessoa ficava no lugar em que o colchão se posicionava dava pra ver a grade e o corrimão da escada. Sempre quando eu deitava no colchão, à noite, com a janela totalmente fechada e olhava pro corredor eu via lá no alto, no vão da porta, o rosto de um homem todo branco, arregalando os olhos com a testa franzida e arreganhando os dentes pra eu.
Nota: a sala ficava uma escuridão só, então não havia a possibilidade de ser reflexo.

2º caso: É meio bizarro, mas na época me deu mó medão (e olha q dificilmente algo me deixava com medo). Eu tinha aquela bonecona q anda da Angélica, peguei tanta pirraça pra minha mãe me dar a boneca no meu aniversário q minha mãe acabou comprando aquela praga. Os dias se passaram e fui notando o quanto aquela boneca me dava medo, aliás, não só em mim como em todo mundo (tanto é q minha avó tacou fogo nela). Ninguém mais queria aquela boneca medonha por perto, ficava só encarando com aquele sorriso "diabólico". Numa bela noite estávamos eu e meu irmão na sala assistindo TV (coincidência ou não, estava passando o filme do Chucky ) e a boneca estava encostada no sofá perto da porta. Acabou a energia elétrica por uns instantes, mas logo voltou (tem gerador aqui em casa XD) e pro espanto meu e do meu irmão lá estava aquele encosto uns 2m de
distância da gente e, ainda por cima, com os braços esticados. Foi no dia seguinte q minha avó tacou fogo nela.

Na adolescência: 1º caso - Há, no corredor de cima, um banheiro no qual o basculante é de frente pra porta e do outro lado do basculante é a escada q vai pra laje (um dos degrais é grudado no vidro do basculante, resultado do "excelente" serviço do pedreiro). Uma vez, estávamos eu, minhas 2 irmãs e mais 1 amiga fazendo guerra de almofadas nesse corredor à noite. Então eu olhei, repentinamente, pro basculante e vi um par de botinas subindo pra laje. A gente estranhou isso, pq estávamos sozinhas em casa. Então fui na laje ver quem tinha subido: não havia ninguém lá e muito menos botina alguma. Se alguém tivesse entrado em casa os cães iam fazer uma latição danada, pq eles eram mto barulhentos.

2º caso: Não é de aparição, mas tá valendo.
Uma vez tive um sonho muito estranho e tal, então acordei, de manhã, pra arrumar pra ir pro colégio. O sinistro é que eu não conseguia me mexer, só via as coisas à minha volta, parecia que o lençol estava me segurando (e olha q ele tava soltinho na
cama), tentei gritar e não conseguia. Depois de muito tempo é que consegui me levantar, mas quando tentei me colocar de pé caí que nem abóbora madura no chão. Não conseguia sentir minhas pernas, fui tentando me apoiar na escrivaninha mas acabei derrubando tudo no chão e tornei a cair. Só depois consegui ficar de pé normalmente.

Nos tempos de hoje: 1º caso - Na cozinha daqui de casa há 2 portas: uma que dá acesso ao lado de fora da casa e outra que dá acesso ao corredor da escada pro 1º andar. Na parede que fica a porta que dá acesso ao lado de fora tem um relógio (que é uma das primeiras coisas que vejo quando entro na cozinha pq tenho mania de ficar olhando as horas) e entre as duas portas tem uma mesa retangular grande. Certo dia quando estava me adentrando na cozinha pela porta do corredor vi uma menininha de uns 2 ou 3 anos, loira, de vestido, sentada na mesa da cozinha de frente pro relógio. Achei que devia ser a filha de algum dos fornecedores da fábrica (nos fundos de casa meu pai tem uma fábrida de bebida), então virei pra fechar a porta e quando olho de novo pra mesa (já ia começar a brincar com a menininha) ela sumiu. Fui lá fora ver se ela estava lá e não estava, perguntei pros fornecedores se era filha de um deles e se eles viram ela por aí e disseram que não. Em fim, procurei a menina em tudo qnto é canto e não achei.
Nota: minha irmã está grávida e ainda não sabe se é menino ou menina. Diz um amigo meu q isso seria, digamos, um "palpite".

2º caso (ainda na cozinha) - Estava chegando em casa e assim que entrei na cozinha vi meu irmão correndo pro banheiro, que fica no lado direito da cozinha (ou seja, correu da porta do corredor). Eu tinha um recado pra dar a ele, então bati à porta do banheiro e chamei. Silêncio. Chamei denovo. Silêncio. Então fui abrindo a porta do banheiro pra ver quem estava lá e pra minha surpresa não havia ninguém. Perguntei pra todo mundo lá em casa pelo meu irmão e disseram que ele estava na casa de um
amigo.


A gente se mudou pra cá quando eu ia fazer 2 anos (em 1990). Meu pai vive dizendo que antes quem morava nela era uma enfermeira q foi embora de lá por causas estranhas, e que antes dela, quem morava lá era um macumbeiro, mas pra mim isso não faz diferença.



envie seu relato sobrenatural ou pergunta piresvale@gmail.com os relatos serão divulgado aqui


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Marcadores

Follow by Email

Recent Posts

Postagens populares

Minha lista de blogs